Adicionar pessoa em grupo de WhatsApp sem consentimento poderá gerar multa

Na última quarta-feira (7), a Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) do Senado aprovou um projeto de lei que deve causar polêmica entre usuários do WhatsApp. A emenda constitucional, proposta pela senadora Vanessa Grazziotin (PC do B-AM), pretende proibir a inclusão de pessoas em grupos em “redes e mídias sociais” sem a prévia autorização da pessoa.

Basicamente, a intenção é tornar “infração civil” o ato de adicionar os usuários em agrupamentos do mensageiro sem consentimento – ação que também valeria para grupos de Facebook, Telegram e outros aplicativos similares.

Em pronunciamento no plenário, a senadora e relatora substituta do projeto, Simone Tebet (PMDB/MA), explicou a motivação para a aplicação do texto:

— Constrangimentos por essas práticas são inúmeros e vão desde os incômodos gerados pela infração de informações gerados por grupos indesejados até o desgosto com o recebimento involuntário de conteúdos violentos, pornográficos ou fúteis.

Após a aprovação da CCJ, o projeto ainda deve receber um parecer positivo da Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática para seguir adiante. Ao receber um novo aval positivo, o texto será enviado para a Câmara dos Deputados e o Senado. Ao final do processo, deve ser incluído como uma emenda do Marco Civil da Internet. (Diário Catarinense)

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.