Bisneta de Anita Garibaldi planta roseira em Curitibanos

(Foto: Renata Westphal)

Curitibanos – A tarde desta sexta-feira (14) marcou a história de Curitibanos. Em frente ao Museu Antônio Granemann de Souza, na praça da República, a bisneta de Anita Garibaldi plantou uma roseira que simboliza a história que a guerreira traçou durante a Revolução Farroupilha. A professora italiana chamada Annita Garibaldi, em homenagem à bisavó, enraizou uma variedade de rosa desenvolvida na Itália, em comemoração ao bicentenário do nascimento da revolucionária, conhecida como “Heroína de dois mundos”, junto com o prefeito do município José Antônio Guidi (Dudão) e Ana Lúcia Coutinho, presidente da Fundação Catarinense de Cultura, representando o governo estadual.

A ação faz parte do Projeto Dois Mundos e uma Rosa para Anita com objetivo de fazer a ligação da Itália, país onde Anita viveu seus últimos dias de vida, com eventos no Brasil, Uruguai, Itália e San Marino. Na presença de autoridades, alunos e munícipes a italiana agradeceu a receptividade em Curitibanos, em especial a presença dos alunos. “Desde que iniciou este movimentos, pensamos em um símbolo que pudesse marcar a trajetória de Anita, a rosa simboliza a feminilidade e os espinhos a força da guerreira”, explicou Annita sobre o híbrido.

Annita é filha de Sante e Beatrice Garibaldi. Seu pai era filho de Harriet Constance Hopcraft e Ricciotti, quarto e último herdeiro de Giuseppe e Anita. Descendente da heroína, a professora está no Brasil desde o último sábado (8), quando iniciou a visita pelo Rio Grande do Sul, onde participou da inauguração de monumento em honra a Garibaldi, em Antônio Prado. Depois disso, veio para Santa Catarina onde visitou Lages, Anita Garibaldi, e agora segue para Laguna, Garopaba e Florianópolis.

(Foto: Renata Westphal) /

Em cada município ela fará o plantio da Rosa de Anita, variedade de flor desenvolvida pelo italiano Giulio Pantoli, para celebração do bicentenário, que acontece em 2021. Na Itália, os direitos de reprodução da rosa estão com o Museu Renzi, que franqueou autorização para que o Instituto Cultural Anita Garibaldi (CulturAnita) pudesse clonar e distribuir o híbrido no Brasil e na América do Sul. Os brotos foram trazidos no final de 2018 para o Brasil e adaptados à realidade climática do país, pelo botânico Leonardo Borges, de Laguna. Em agosto, foram iniciados os plantios das primeiras rosas geradas em Imbituba, Laguna e Tubarão.

O prefeito de Curitibanos, Dudão, destacou que esse foi um importante marco na história e cultura da cidade. “Hoje revivemos uma história que deve ser preservada. Assim como italianos ajudaram a desenvolver o sul do Brasil, Anita fez o caminho contrário e saindo de Santa Catarina, ajudou a desenvolver regiões da Itália e isso tem que ser valorizado”, resgatou o prefeito. A rosa deve ser plantada em outros jardins da cidade.

Participando da organização da visita em Curitibanos, Aldo Dolberth destaca ser uma grande honra receber a bisneta da Anita Garibaldi. “É a nossa história presente no município. Teremos discursos e apresentações culturais para recebê-la, mas é importante que a comunidade aproveite este momento para contato direto com a história vivida em nossas terras, valorizando as lutas aqui existentes”, informa. Além disso, Aldo ressalta a necessidade de investimento em turismo cultural e histórico na região. “Já existe o projeto de construir um monumento em homenagem a Anita, que deverá ficar no Capão da Mortandade, local de uma das batalhas mais sangrentas e onde está enterrada boa parte da história de Curitibanos. Não podemos deixar que a história local seja esquecida”, declarou.

Além do resgate histórico, o projeto também pretende valorizar a aproximação entre Brasil e Itália, fortalecendo elos comerciais, turísticos e educacionais. “Essa ação aproxima cidade de países diferentes e auxilia em projetos que trazem convênios que levam jovens a buscar conhecimentos e ugares onde Anita passou, no Brasil, Itália e Uruguai, colocando Curitibanos no roteiro turístico, possibilitando  que turistas do mundo todo descubram o município em Santa Catarina”, destacou o historiador Adilson Cadorin que está acompanhando Anitta durante o roteiro por Santa Catarina.

(Foto: Renata Westphal) /

Quem foi Anita

Nascida em Laguna, em 30 de agosto de 1821, Ana Maria de Jesus Ribeiro da Silva (Anita Garibaldi) envolveu-se com a Revolução Farroupilha em 1837, onde conheceu Giuseppe Garibaldi, um dos principais líderes do movimento que conquistara sua cidade natal e proclamara a República Juliana, no local. Nesta época, Anita aprendeu a manusear espadas e armas de fogo e participou de batalhas, chegando a ser capturada pelo exército que representava o Império Brasileiro. Em 1841, o casal seguiu para o Uruguai, para apoiar revolta contra o ditador uruguaio Fructuoso Rivera. Nesse conflito, chegaram até Roma, que havia sido posta como a capital da nova República Romana. Apesar da conquista, tiveram que enfrentar a opulência das forças franco-austríacas e bateram em retirada, nas ofensivas que marcaram a Batalha de Gianicolo. A essa altura, esgotada pela quinta gravidez, a revolucionária ficou abatida ao enfrentar uma grave crise de febre tifoide. Não resistindo, Anita faleceu nas proximidades de Ravenna, em 4 de agosto de 1849. (Reportagem: A Semana)

(Foto: Renata Westphal) /

(Foto: Renata Westphal) /

(Foto: Renata Westphal) /

(Foto: Renata Westphal) /

(Foto: Renata Westphal) /

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.