Bolsonaro quer estender auxílio por mais três meses

***ARQUIVO***BRASÍLIA, DF, 20.03.2020 - JAIR-BOLSONARO: O presidente Jair Bolsonaro cumprimenta apoiadores e falam com jornalistas ao sair do Palácio da Alvorada, em Brasília. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)

O presidente Jair Bolsonaro deseja estender o auxílio emergencial de R$ 600 por mais três meses como forma de evitar uma crise ainda maior devido à pandemia do coronavírus. Ele criticou mais uma vez governadores, prefeitos e o Supremo Tribunal Federal (STF) ao afirmar que muitos estariam passando fome se não fosse a ajuda do governo.

– Temos mais uma parcela de R$ 600, depois mais duas acertadas com o Paulo Guedes. Falta definir aí o montante. E vamos esperar que até lá os outros governadores entendam o que seja melhor para o seu estado e adotem medidas para voltar aí o povo a trabalhar.

Bolsonaro disse que com a crise “o pobre está ficando miserável e a classe média está ficando pobre”. Ele reclamou que não faltam problemas a serem resolvidos diante dessa situação do país.

– Estamos fazendo o possível. Se não fossem os R$ 600, o Brasil já tinha entrado em crise já. Eu penso que os 38 milhões de informais não teriam o que comer mais. Agora, é difícil falar isso aí. O povo aí vai se conscientizando do que está acontecendo no Brasil.

O auxílio emergencial de R$ 600 foi aprovado pelo Congresso no dia 1º de abril. Trabalhadores informais, desempregados, MEIs e contribuintes individuais do INSS, maiores de idade e pessoas que cumpram requisitos de renda média podem receber o benefício. Já as mulheres que forem mães e chefes de família podem receber R$ 1.200 por mês.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.