Câmara de Pinheiro Preto arquiva processo contra vereador

Por 5 votos a 3, a Câmara de Vereadores do município de Pinheiro Preto arquivou o processo que apurava denúncia de quebra de decoro parlamentar que tramitava contra o vereador Edmilson Antônio Cardoso de Aguiar. Ele estava sendo acusado pela vice-prefeita Márcia Bressan de ter recebido inúmeros benefícios em seus quatro mandatos na Câmara.

A denúncia foi apurada em uma CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito). O parecer do relator da comissão, vereador Edson Mânica, apontava que Edmilson fraudou documentos para a aquisição de um terreno no loteamento Tranquilo Benjamin Guzzi, destinado para atender famílias carentes do município e portanto não apresentava mais condições de manter seu mandato eletivo.

O relatório que apontava pela cassação foi votado na sessão realizada na noite da segunda-feira, 24, recebendo cinco votos pelo arquivamento e três pela cassação. Pinheiro Preto possui nove vereadores. Neste caso, o acusado não vota.

Por telefone, o vereador que estava sendo acusado de quebra de decoro, afirma tratar-se de perseguição política e que o resultado comprova sua inocência. (Rádio Videira)

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.