Catarinense tem o quarto maior custo por habitante para cobrir rombo previdenciário

Cada cidadão catarinense desembolsa R$ 615,00 por ano para cobrir o déficit da previdência no Estado, calculado em R$ 3,8 bilhões. É o quarto maior custo por habitante do país, segundo estudo da Federação das Indústrias do Rio de Janeiro (Firjan). O peso só é proporcionalmente maior no Rio Grande do Sul (R$ 1038,00), no Distrito Federal (R$ 887,00) e no Rio de Janeiro (R$ 663,00).

A pesquisa ainda mostra que Santa Catarina é um dos quatro Estados brasileiros que tem mais pensionistas e aposentados do que servidores na ativa. Para cada servidor catarinense em exercício, há 1,06 já aposentado. Em SC, o valor pago ao grupo de inativos também supera o depositado aos servidores ativos: em média, profissionais da ativa ganham R$ 6,3 mil, enquanto pensionistas e aposentados recebem R$ 6,9 mil.

Em um cenário de equilíbrio previdenciário, a contribuição dos trabalhadores deveria bancar o benefício de quem já está aposentado. Mas, como esta conta não fecha, o Estado acaba destinando mais recursos para honrar as aposentadorias, o que tem reflexo no déficit.

Outros 13 Estados brasileiros também pagam mais a inativos do que a servidores em atividade. Somando todas as unidades da federação, o déficit previdenciário chega a R$ 77,8 bilhões.

Como forma de minimizar o rombo nos Estados, a Firjan defende a aprovação da Reforma da Previdência e a aprovação do projeto em tramitação no Senado que permite a demissão de servidores públicos por insuficiência de desempenho.

A entidade ainda defende que os critérios de contabilidade pública dos Estados sigam uma mesma metodologia para evitar manobras que dificultem a análise da real situação fiscal.

(NSC)

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.