Condenada organização criminosa que traficava na região de Catanduvas

Catanduvas – Os integrantes de uma organização criminosa que agia no meio-oeste catarinense, denunciados pelo Ministério Público de Santa Catarina (MPSC), foram condenados na Comarca de Catanduvas. As penas individuais, que somam mais de 80 anos de prisão, variam de nove a treze anos de reclusão em regime inicial fechado.

A organização criminosa foi desbaratada a partir da prisão de um membro da facção em cujo aparelho celular foram encontradas uma série de mensagens e contatos com os denunciados. A partir daí, foi autorizado judicialmente o monitoramento dos telefones dos demais membros, o que permitiu a colheita de provas contundentes contra os acusados.

A organização era comandada na região por Jonas de Oliveira Souza Borges em Catanduvas e por Beatriz Lima em Joaçaba. Os dois tinham contato direto com os lideranças estaduais da facção criminosa.

Nicolas Mateus Totti, Saimonn Vinícius Cordeiro, Yan Patrick Ribeiro e Vagner Giaretta faziam a venda do produto ilícito aos consumidores. Além deles, André Júnior de Oliveira, que não integrava diretamente a facção, associou-se ao grupo para o tráfico de drogas.

Todos foram condenados pelos crimes de organização criminosa e tráfico de drogas, à exceção de André, que foi denunciado por tráfico de drogas, associação para o tráfico e receptação, por ter adquirido um televisor que sabia ser roubado.

Jonas foi condenado, também, pelo crime de receptação, de um notebook produto de furto, e de posse irregular de arma de fogo, pois tinha em seu poder uma espingarda sem qualquer autorização.

Veja abaixo a pena aplicada a cada um dos réus

Jonas – 12 anos, seis meses e 23 dias

Beatriz – 13 anos, três meses e sete dias

Vagner – 13 anos, dois meses e 20 dias

Nicolas – nove anos e quatro meses

Saimonn – 12 anos e 10 meses

Yan – 10 anos, 10 meses e 20 dias

André – 10 anos e 11 meses

Fonte: Atual FM

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.