Copérdia investe R$ 8,5 milhões em energia solar para atender 90% das unidades da cooperativa

Concórdia – Está em construção na Acercc (Associação dos Funcionários), em Santo Antônio, a maior usina de geração de energia solar fotovoltaica de Santa Catarina. A obra – contratada pela Copérdia – deve ser concluída em setembro deste ano e, partir daí, a usina irá gerar energia elétrica para 90% das unidades consumidoras da cooperativa.

A produção de energia da usina vem através dos painéis fotovoltaicos que convertem a energia do sol em energia elétrica para ser distribuída para a rede. Além de minimizar os gastos com energia elétrica – que ultrapassam os R$ 500 mil mensais – o objetivo é também produzir energia limpa através do uso de recursos naturais sem impacto ambiental.

Ricardo Mores, gerente de Indústrias e Logística da Copérdia, relata que ainda em 2017 a cooperativa deu os primeiros passos para a implantação da usina de geração de energia solar.

“Depois de analisar vários projetos e orçamentos escolhemos o local de implantação. Em maio deste ano, o projeto começou a sair do papel com a preparação do terreno através da derrubada de uma área de reflorestamento de três hectares, drenagem pluvial e licenciamento ambiental. A expectativa é de quatro meses para conclusão da obra, considerando condições climáticas favoráveis”, explicou Mores.

A obra para a usina de geração de energia solar da Copérdia está sendo executada pela empresa francesa Engie e terá capacidade instalada de 2MWH (megawatts) produzindo anualmente 2,95 MW (megawatts hora/ano) – o suficiente para que a cooperativa economize aproximadamente R$ 90 mil mensais em energia elétrica.

O investimento com a usina é de R$ 8,5 milhões e o tempo de retorno estimado é de sete anos e meio. Segundo Mores, embora o custo inicial seja considerável a usina de energia solar é um bom negócio, pois possui custo de manutenção baixo, vida útil longa e usa como fonte o sol, que não custa nada.

“O investimento em uma usina de energia solar se justifica pela demanda que a cooperativa têm de energia e também por que entendemos que a energia solar é uma energia limpa, que não causa nenhum problema ao meio ambiente e está disponível para ser explorada. Certamente é um marco que dará início a outros projetos de geração de energia para a nossa região. Nossa expectativa é do retorno econômico em pouco mais de sete anos”, destaca Valdemar Bordignon, presidente da Copérdia.

(Informações ASCOM/Copérdia)

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.