Corpo do piloto da Videplast será transladado para Caçador nesta noite

Caçador – O corpo do piloto Antônio Traversi que morreu no acidente com o avião da empresa Videplast ontem domingo (29) no aeroporto de Campo de Marte em São Paulo ainda não foi liberado pelo IML. A informação foi confirmada nesta tarde por uma pessoa ligada a empresa e que está em São Paulo.

Antonio Traversi tinha mais de 5.000 horas de voo e trabalhava havia 18 anos na Videplast. O piloto foi instrutor do Aeroclube de Videira. A instituição lamentou sua morte.

Traversi tentou arremeter (um procedimento em que o piloto de uma aeronave, durante o pouso, retoma o processo de subida) duas vezes antes de aterrissar, segundo testemunhas do acidente. Ao se aproximar da pista, o avião caiu para o lado esquerdo, colidiu com o solo e se arrastou com as rodas para cima, explodindo em seguida.

Segundo as informações ainda, após a liberação, provavelmente durante a noite, o corpo do piloto será transladado de avião por uma empresa de táxi aéreo até Caçador cidade onde morava para a realização do velório. O horário dos atos fúnebres ainda não foram confirmados.

Já os seis passageiros que estavam no avião um bimotor King Air C90, permanecem internados nos hospitais em observação.

Segundo boletim divulgado nas últimas horas o estado de saúde de cada um é:
• Nereu Denardi – sócio da Videplast. Foi socorrido e levado ao Hospital do Mandaqui; o estado de saúde dele é estável.

• Geraldo Denardi – sócio da Videplast e irmão de Nereu. Internado no Hospital Santa Isabel, passou por tomografia e, segundo a família, está consciente; assessoria do centro médico diz que ele está estável, sem previsão de alta hospitalar.

• Enzo – tem 17 anos e é filho de Nereu. Internado no Hospital Santa Isabel, passou por tomografia e, segundo a família, está consciente; assessoria do centro médico diz que ele está estável, sem previsão de alta hospitalar;

• Aguinaldo Nunes – coordenador da Videplast. Foi socorrido e levado para o Hospital São Camilo. Segundo o centro médico, estado de saúde é estável; ele não tem previsão de alta;

• Agnaldo Crippa – gerente da Videplast. Foi socorrido no Hospital San Paolo; segundo boletim divulgado pelo centro médico nesta segunda (30), ele foi vítima de politraumatismo secundário e “encontra-se na Unidade de Terapia Intensiva Adulto, sob ventilação mecânica invasiva devido à inflamação importante de vias aéreas por inalação de grande quantidade de fumaça tóxica, fato que prejudica a capacidade de oxigenação nos pulmões”. “Do ponto de vista neurológico, permanece estável, com pupilas reagentes sem sinais de sangramento cerebral, apresentando ferimento corto contuso na região do escalpo. Seu estado de saúde ainda requer cuidados intensivos e hoje ele será submetido a um exame invasivo de broncoscopia para avaliação complementar das vias aéreas”, diz o comunicado.

• Benê Souza – foi socorrido e levado para o Hospital das Clínicas; o estado de saúde dele é estável.

NOTA DA VIDEPLAST

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.