Empresa que recolhe animais mortos continua paralisação por tempo indeterminado

Concórdia – Na manhã de ontem, 05 de junho, os Prefeitos(as) da região da Amauc receberam o comunicado da empresa CBRASA de Seara, que a atividade de coleta de animais mortos em propriedades rurais não será retomada após o período de férias coletivas.

A morosidade da normatização junto ao Ministério de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), para que a empresa possa comercializar (exportar) o produto gerado, fez com que no mês passado a empresa concedesse férias coletivas a todos os funcionários, não tendo nenhum avanço nas normatizações, a direção decidiu pela paralisação por tempo indeterminado.

A direção do Consórcio Lambari e da Amauc, já está tratando sobre o assunto, tendo em vista que a paralisação do projeto representa um retrocesso para a economia e segurança sanitária do Estado de Santa Catarina. “Recebemos o comunicado com muita preocupação, uma vez que a alternativa que vinha sendo desenvolvida através do projeto Piloto RECOLHE, se mostrou muito eficiente. Além de auxiliar os produtores facilitando o manejo dos animais, permite minimizar os impactos ambientais, especialmente das atividades oriundas da suinocultura e bovinocultura”, pondera o presidente do Consórcio Lambari, prefeito de Ipumirim, Volnei Schmidt.

Por parte dos prefeitos da região da Amauc não faltou envolvimento para que a   paralisação não se efetivasse, foram realizadas diversas reuniões com o MAPA, Governo do Estado de Santa Catarina e Secretaria de Agricultura do Estado, além de encaminhamento de ofícios a Deputados e Senadores da região destacando a importância do Projeto RECOLHE e pedindo apoio na agilidade para a consolidação do mesmo. “É lamentável esse encaminhamento por parte do Ministério da Agricultura, que tomou outro rumo nas análises técnicas que já vinham sendo realizadas a mais de dois anos, isso com certeza prejudicou a continuidade do projeto, e irá impactar diretamente a nossa região. Vamos continuar nos mobilizando e tentar buscar um caminho para resolver essa situação”, pontua o Presidente da Amauc, prefeito de Concórdia, Rogério Pacheco.

Nota da empresa CBRASA:

“Devido a inviabilidade econômica da operação, pela falta da regulamentação e impossibilidade da comercialização da farinha com valores adequados, a participação da empresa nesse projeto piloto inovador no Brasil está suspensa por tempo indeterminado”.

Sobre o projeto piloto:

O Projeto Piloto de Recolhimento e Processamento de Amimais Mortos – RECOLHE, estava sendo desenvolvido pela empresa CBRASA desde o ano de 2017. Especialmente no Grande Oeste, este projeto veio solucionar um dos grandes problemas da produção de suínos e bovinos, tanto aos produtores como para a preservação ambiental.

O Projeto RECOLHE é inédito no Brasil, mesmo que ainda não regulamentado, atende todas as exigências sanitárias para a efetivação e representa grande avanço para a qualidade de vida dos produtores, ao meio ambiente e a toda a cadeia produtiva, e se apresenta como uma das melhores alternativas para o destino dos animais mortos nas propriedades com total segurança, haja vista, que a CIDASC possui total controle desses animais, graças ao programa de rastreabilidade. (Fabíola Bassi Bordin/Ascom Amauc)

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.