Figueira: MPT pede bloqueio de bens de R$ 9,6 milhões para garantir salários

Nesta sexta-feira (23), o Ministério Público do Trabalho de Santa Catarina (MPT-SC) pediu o bloqueio de bens de 12 réus (pessoas jurídicas e físicas) para alcançar o valor de R$ 9,6 milhões e pagar os salários atrasados de 2019 dos jogadores e funcionários do Figueirense.

De acordo com o MPT-SC, “o objetivo é buscar a responsabilização trabalhista e a salvaguarda imediata de patrimônio de todos os responsáveis pelo clube, a fim de assegurar o pagamento das parcelas salariais vencidas e por vencer a todos seus empregados”.

O pedido de bloqueio aguarda decisão da 7ª Vara do Trabalho de Florianópolis. A decisão deve ser divulgada nesta sexta-feira.

O MPT-SC lembra ainda que já havia ajuizado outra ação contra o Figueirense em 2018 e que, desde 2015, já abriu três inquéritos para apurar denúncias contra o clube.

Atualmente, há 177 ações trabalhistas propostas contra o Figueirense, distribuídas pelas sete Varas do Trabalho da Capital. A maioria dos casos solicita o pagamento das verbas salariais e rescisórias não efetuadas. (Informações Diário Catarinense)

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.