Fundos querem Augusto Marques da Cruz Filho na presidência da BRF

Brasil – Os fundos de pensão Petros e Previ apresentaram neste sábado (3) a chapa com com 10 integrantes indicados para concorrerem ao Conselho de Administração da BRF. Os dois fundos pedem a saída de Abilio Diniz da presidência do conselho desde o prejuízo recorde, de R$ 1,1 bilhão, registrado em 2017.

A reunião do conselho foi convocada para esta segunda-feira (5) por Abilio. O empresário, que preside o conselho desde 2013, divulgou nota comentando o caso, lamentando o mau resultado e criticando Petros e Previ pela falta de diálogo na crise.

brfPetros e Previ indicaram Augusto Marques da Cruz Filho para a presidência do conselho e Francisco Petros para a vice-presidência. Completam o conselho: Guilherme Afonso Ferreira; Walter Malieni Jr.; José Luiz Osório; Roberto Antônio Mendes; Dan Ioschpe; Roberto Funari; Vasco Augusto Pinto da Fonseca Dias Júnior e o Luiz Fernando Furlan.

Mais de 40% dos acionistas da empresa já se alinharam contra o atual conselho. Petros, funde de pensão da Petrobras, e Previ, do Banco do Brasil, somam 22% das ações. Os acionistas minoritários da BRF no mercado brasileiro também já indicaram que vão apoiar a destituição de Abilio. Fundos estrangeiros, como o Aberdeen (5%), também estão com os fundos.

Os donos da Sadia, marca que se fundiu à Perdigão em 2009 para criar a BRF, têm uma participação de cerca de 8% e também se alinham aos fundos. Na chapa apresentada por Previ e Petros está mantido o nome o ex-ministro Luiz Fernando Furlan, que é herdeiro da família fundadora Sadia.

“Apresentamos um grupo experiente e com competências complementares, o qual deverá, com total independência, imprimir novos rumos e viabilizar a recuperação da BRF, superando os grandes desafios que a empresa precisa enfrentar”, diz Daniel Lima, diretor de Investimentos da Petros. (Folha de São Paulo)

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.