Governador Moisés afirma que não desistiu em relação ao duodécimo dos Poderes

Estado – O governador Carlos Moisés da Silva (PSL) não desistiu a respeito do duodécimo e, nesta segunda-feira (17), segundo o colunista Marcelo Lula, deu claros sinais de que vai para o enfrentamento com os demais poderes.

Por volta do meio-dia em Itajaí, na sede da Associação dos Municípios da Foz do Rio Itajaí, Moisés que acompanhou o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Freitas, que participou da reunião do Fórum Parlamentar Catarinense, fez um duro discurso.

Segundo o governador, a sua proposta que estava embutida na Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO), prevendo um corte de 10% nos repasses ao Judiciário, Assembleia Legislativa, Udesc, Tribunal de Contas e Ministério Público, foi derrotada pelo parlamento, porém, afirmou que o Governo tem outros meios de interferir nos orçamentos. “A gente vai buscar de todas as formas rever o dinheiro que é deixado e que sobra dos poderes. O dinheiro sobra nos poderes e falta aqui. Essa pequena revisão que queríamos fazer no duodécimo, a gente ia trazer para cá mais de R$ 400 milhões. É um dinheiro que ia tirar gente das filas dos hospitais, que ia investir em infraestrutura, investir em segurança, educação e saúde para Santa Catarina”, disse Moisés.

Para o governador a causa é justa e, definiu a discussão como uma batalha que envolve corporações e corporativismo. Ele também pediu um olhar mais caridoso dos poderes, para que entendam que o dinheiro que sobra falta no Executivo.

Agora, o ponto da fala de Moisés que mais chamou a atenção, foi quando ele disse que as demandas dos demais poderes não é igual à do Executivo e, que não pretende inviabilizar nenhum órgão, mas chamou de inverdade o que foi noticiado pelos próprios poderes, sobre o fechamento de comarcas entre outros serviços. “Tudo o que foi noticiado aí são inverdades em relação ao fechamento de serviços e, ao não atendimento, são inverdades. A Fazenda e o Tesouro do Estado fizeram um cálculo muito responsável a respeito da linha de corte”, disse categoricamente, buscando desmentir os demais poderes.

Outra crítica feita por Moisés, é de que ele esperou por 20 dias os poderes apresentarem uma proposta, mas que acabou não a recebendo, por isso, tomou a decisão de encaminhar a LDO com o corte de 10%. Por fim, agradeceu o apoio das entidades empresariais, citando a Facisc, e disse que a discussão ainda terá outros capítulos.

1 Comentário

  1. PARABÉNS Governador MOISÉS!
    Tira de onde tem mto e coloca onde tem pouco .
    Bem disse o Deputado Jessé,
    votação aberta no duodécimo,
    para depois os covardes não dizerem q votaram a favor .
    O povo está acordado . Outras eleições virão.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.