Haddad teve 83,91% dos votos válidos nos presídios de Santa Catarina

Demonstração do uso da urna eletrônica para as eleições de 2006.

Derrotado na votação do segundo turno do último dia 28 de outubro, Fernando Haddad (PT) conseguiu uma votação expressiva dentro dos presídios de Santa Catarina. Diferente do que ocorreu em todo o Estado, onde o presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) recebeu a segunda maior votação proporcionalmente entre todas as regiões do país, nas unidades prisionais catarinenses onde houve votação a vitória do petista foi expressiva. O levantamento foi feito por Caixa de Dados.

Nem todos os detentos têm direito ao voto. Quando condenados, eles perdem esse benefício. Por isso, votaram apenas os presos provisórios, ou seja, que aguardam julgamento. Tinham direito ao voto presos de 17 locais: presídios de Itajaí, Florianópolis, Xanxerê, Tubarão, Araranguá, Blumenau, Caçador, Chapecó, Concórdia, Criciúma, Jaraguá do Sul, Mafra, Campos Novos, Canoinhas, Videira, Itapema e Laguna.

Nestas unidades, Haddad recebeu apoio de 83,91% (438 votos) dos eleitores. Bolsonaro ficou com 16,09% (84) dos votos válidos. Para efeitos de comparação, em nenhuma cidade do Estado o petista chegou na mesma porcentagem. Em Entre Rios, por exemplo, onde ele teve o maior índice no enfrentamento com o presidente eleito, Haddad fez 73,57%.

Na comparação por unidade prisional, em duas delas Bolsonaro não recebeu votos. No Complexo Penitenciário da Canhanduba, em Itajaí, foram 50 votos para Haddad e um branco ou nulo. No Presídio Regional de Criciúma, dos 22 votos, o petista recebeu 18. Os outros quatro foram brancos ou nulos. Bolsonaro teve a maior votação dele dentro dos presídios de SC no Complexo Penitenciário da Agronômica, em Florianópolis. Mesmo perdendo, ele teve 32 dos 68 votos, com 49,23%. Haddad fez 33 votos e 50,77%. Outros três foram votos nulos ou brancos.

Para governador, Merisio venceu nos presídios

No segundo turno do governo do Estado, Gelson Merisio (PSD) foi o mais votado nos presídios. Ele atingiu 68,86% contra 31,14% do eleito Carlos Moisés da Silva (PSL). Em votos válidos, Merisio teve 241 e Moisés 109. Os brancos e nulos foram 185.

Nas unidades de Araranguá, Videira, Criciúma e Mafra o governador eleito não fez votos. Mas ganhou no Complexo da Capital (31 votos a 20) e Campos Novos (14 a 4). Em Laguna os dois empataram com seis votos cada um. (Anderson Silva/DC)

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.