História, teatro e jantar marcam a comemoração do centenário da Escola Municipal Carlos Jaime da Rocha

Capinzal – O Centro Comunitário de Lindenberg ficou repleto de moradores, autoridades e convidados para a festa em comemoração ao centenário da Escola Municipal Carlos Jaime da Rocha. Para marcar a passagem de um século de história, direção, professores, pais e estudantes promoveram um jantar de confraternização que reuniu cerca de 400 pessoas na noite deste sábado (19).

A programação teve a leitura do histórico do educandário pela diretora Rosangela Scheuermann. A fundação, destacou a diretora, ocorreu na casa do desbravador Francisco Pedro dos Santos (Chico Pedro) até a inauguração na nova sede no começo deste ano.

Em seguida, a vice-prefeita Noemia Bonamigo Pizzamiglio destacou a importância da Escola Carlos Jaime da Rocha na formação de diversos alunos nas várias gerações. A secretária municipal da Educação Marcia Callai Bonato também prestigiou o evento.

Uma peça teatral, ensaiada por alunos e professores, narrou a história da escola ao longo das décadas. Ao final, direção, professores e estudantes, homenagearam a professora, a colaboradora e a estudante mais antiga presentes no jantar.

História

A Escola Municipal Carlos Jaime da Rocha, está situada na comunidade de Lindenberg, Interior de Capinzal, distante 16 km da sede.

A primeira escola fundada em Lindenberg, data do ano de 1918. Era primária e particular, para atender principalmente os filhos de Francisco Pedro dos Santos e demais colonizadores do município, funcionou em sua casa até 1921.

Em 1923, quando foi construída a Capela São Pedro, a sociedade religiosa católica construiu um novo prédio escolar, de caráter municipal pertencente a Campos Novos até 1944.

Com o passar dos anos a escola esteve localizada em outros lugares da comunidade. Os primeiros moradores e colaboradores foram: Francisco Rosa dos Santos, Luiz Bettin, Severino Totti, José Chiocca, João Barrossi, Jacó Bazzi, Afonso Rosa, Angelo Boaretto, Hilário Boaretto e José Machado.

Em 1944 passou para um novo prédio deixando de pertencer à sociedade católica pelo Decreto Lei nº 268 de 20/06/1949.

Em 1950, na administração do Prefeito Sr. Silvio Santos, deu-se início a construção de um prédio escolar financiado pelo Governo do Estado e pequena contrapartida do Município de Capinzal, no terreno doado pelos Srs. Avelino Rosa dos Santos e Hercílio Rosa dos Santos, com metragem de 5.690m², conforme consta em matrícula nº 3.859 de 11/08/1982. Matrícula esta, realizada posteriormente, após desmembramento do terreno total adquirido pelo Sr Francisco de Oliveira. Esta escola tinha duas salas com capacidade para 40 alunos cada. Atendia quatro turmas, sendo duas no período matutino e duas no vespertino, num total de 120 alunos. Foi denominada “Escola Mista Estadual”.

Em 1º de agosto de 1954, por ato do Coordenador Regional de Educação do Estado de SC, Sr. Nelson Pedrini, passou à categoria de “Escola Estadual Reunidas Rural” recebendo a complementação do nome “Carlos Jaime da Rocha”, em homenagem ao professor Carlos Jaime da Rocha, que faleceu em 1953 aos 20 anos de idade, ficando “ESCOLA ESTADUAL REUNIDAS RURAL CARLOS JAIME DA ROCHA”.

De 1946 a 1970, encontraram-se os seguintes nomes de professores que atuaram na escola: Maria do Carmo Magalhães, Fabíola dos Santos Campos, João Sobotka, Juraci de Melo Schmitz, Josefina Sobotka, Geldelina Totti, Elmo Rogério Bens, Orli João de Freitas, Mauri José Cunha, Maria Carmelina Cipriani, Eneri Antunes de Mattos, Maria Juraci Barretta, Iracema Maria Tonial, Dirce Giumbelli, Igilda Bazzi Dalla Maria, Iria Flamia, Rinalda Zoê Schmitz, Maria Amable Schmitz, Bernardete Flamia, Elba Andrioni, Iva Soares Cardoso e Terezinha Eleonor Maliska.

Foi inaugurado, em 30 de agosto de 1970, o prédio atual onde funciona a escola. Construído com recursos do Governo Estadual, durante administração do Prefeito Sr. Carlos Alberto Santos, continuando com o nome de “Escola Estadual Reunidas Rural Carlos Jaime da Rocha”.

Professores que atuaram em 1970: Orli Freitas, Ivone Dorini, Alair Lovatel e Edi Peccinato. Merendeira Carolina Sobotka Giumbelli.

Em 1970, a escola teve também o primeiro presidente da APP (Associação de Pais e Professores), e foi o Sr. Altair Boaretto.

Professores que atuaram de 1971 a 1997: Orli João de Freitas, Ivone Dorini, Alair Lovatel, Edi Pecinato, Vitória Maria Faccioni, Edimar Pissolato, Terezinha Sandri Durigon, Ivanir Desan Pissolato, Tânia Maria Dalavequia, Vera Lúcia Zuanazzi, Sonia Regina da Silva, Vera Amalia Toaldo Bazzi, Solange Baratieri, Terezinha Claudete Andrade, Maria Cassuba, Ivaniza Squerzzato, Zulma Padilha, Terezinha Aparecida Toaldo Giumbelli, Giana Carla Martins, Marlene I. S. Vitorazi, Marcia Maria Coronetti, Delci dos Santos, Suzana Andrade Alves, Léia Ester Pelegrini, Annabel Andrioni, Terezinha da Silva Andrioni, Lúcia Toaldo, Tania Luci Bazzi Angeli e Mary Terezinha Dalla Maria Tobaldini. Merendeiras dessa época: Doralva Rodrigues da Silva, Carolina Giumbelli, Maria Ivete Teixeira, Janilce Peri, Olga Rosa, Dilva Tobaldini e Odete Rodrigues.

Em 1998, a escola foi transferida da rede estadual para a rede municipal de ensino, através da portaria nº 5654/SED de 12/05/98, por intermédio do Sr. Prefeito Celso Farina e Secretária de Educação a Sra. Marlene Zanchetti. Atuaram neste ano os professores: Mary Tobaldini, Vera Amália Bazzi e Terezinha Aparecida Toaldo Giumbelli, com a merendeira Odete Alves Rodrigues.

No ano de 2004, a escola passou por reformas e ampliação: refeitório, mais duas salas de aula, banheiros masculino e feminino e sala de direção.

Em 2001, a escola passou a ter a primeira coordenadora/diretora, foi a professora Vera Amália Toaldo Bazzi, permanecendo por 12 anos consecutivos. Implantou vários programas, destacando-se os Projetos: “Ações Modificam Comportamentos” e Escola de Pais, que foi pioneira em Capinzal. Estes projetos ainda permanecem em evidência.

Com o passar dos anos e implantação da creche, sentiu-se necessidade de espaço maior. A então diretora, Vera Amália Toaldo Bazzi, solicitou junto à Secretaria Municipal de Educação uma nova escola. Esta solicitação foi realizada via PAR (Plano de Ações Articuladas) no ano de 2011 pelo Secretário de Educação Marcio Antônio da Silva, sendo aprovada em 2014, na direção do professor Romi Lira, com início da construção em 2015.

O Ginásio Estadual de Lindenberg, foi criado em função da escola, inaugurado em 31/12/2000. É usado para a prática esportiva dos alunos no período diurno e pela comunidade, no período noturno.

A biblioteca, recebeu o nome de “João Sobotka” em homenagem ao professor que muito fez pela escola e comunidade.

A logomarca, surgiu da pesquisa realizada por Paulina Sobotka, sobre a origem do nome Lindenberg – monte de tílias (são árvores de grande copada), que era de uma família nobre da Alemanha. O brasão, símbolo de Lindenberg, passou a ser a logomarca oficial da escola.

Em 2014, foram implantados: o Programa Mais Educação e Projeto de leitura em família.

Atualmente, a escola atende as séries iniciais do ensino fundamental, com 78 alunos distribuídos em 5 turmas, do 1º ao 5º ano.

Foi concluída a obra em 2017.

Com a construção desta nova escola, utilizando as antigas instalações podemos realizar um sonho da comunidade em ter uma creche de mais qualidade para nossos educandos, então para nós é uma alegria ver nossos recebendo no dia de hoje não uma obra mas duas obras muito necessárias para nossa região.

Em 08/02/2018 foi inaugurada as novas instalações da escola podendo realizar outro anseio da comunidade que era uma creche adequada para as crianças de zero até 3 anos que eram atendidas em um espaço bem pequeno. Esta obra beneficiou 135 alunos desde a Creche até o 5º ano do Ensino Fundamental.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.