Inquérito sobre desaparecimento de jovem em Capinzal é inconclusivo; DIC não verificou conduta criminosa

Capinzal – A Divisão de Investigação Criminal (DIC) da Polícia Civil de Joaçaba não verificou nenhuma conduta criminosa que levasse à responsabilização de alguém no caso do desaparecimento de Argemir Pelentir da Cruz, 26 anos, ocorrido em Capinzal há quase um ano e meio.

De acordo com a delegada responsável pela DIC, Fernanda Gehlen da Silva, a investigação não levou a nenhuma conduta criminosa por parte de alguém. “Foi feita uma longa investigação, ouvidas várias pessoas, policiais que atenderam o caso, mas infelizmente não se chegou a nenhuma conclusão, a não ser que ele pulou da ponte”, explica.

A delegada ressalta que teve uma testemunha que passava na hora e viu-o pulando [da ponte]. “A única coisa que se conseguiu apurar”, completa. O inquérito policial foi enviado para análise do Ministério Público, sem conclusão. “Todas as diligências possíveis foram realizadas”, finaliza  ao salientar que, a não ser que fato novo surja, as coisas ficarão como estão.

O desaparecimento de Argemir Pelentir da Cruz, de 26 anos, popular “Bocão” ocorreu no dia 15 de janeiro do ano passado. O jovem que residia com a mãe no final da Rua Carmelo Zocolli, em Capinzal, saiu de casa e desde então não foi mais visto. Ele teria sido visto pela última vez sobre a ponte Irineu Bornhausen onde foi encontrada sua camiseta. Antes disso ele havia feito consumo de bebida alcoólica. Investigação

Argemir Pelentir da Cruz usava bermuda jeans, chinelos e camiseta branca. Segundo familiares, além de consumir bebidas alcoólicas, o jovem era usuário de drogas, tendo inclusive várias passagens pela polícia por posse de entorpecente e embriaguez.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.