Interventor é nomeado para assumir a gestão do Presídio Regional de Caçador

A Secretaria da Justiça e Cidadania (SJC) nomeou um interventor para assumir a gestão do Presídio Regional de Caçador, no Meio-Oeste de Santa Catarina. A medida aconteceu depois que o diretor, o chefe de segurança e um policial militar da reserva que trabalham na unidade prisional foram afastados nesta quarta-feira por determinação da Justiça.

O Ministério Público de SC e a força-tarefa do Gaeco investigam irregularidades administrativas na cadeia. Foram cumpridas sete ordens de busca e apreensão, mas detalhes ainda estão em sigilo.

O secretário da Justiça e Cidadania, Leandro Lima, afirmou não saber o teor da investigação do MP e do Gaeco, mas que está respeitando integralmente o procedimento e a decisão judicial. Segundo Lima, o agente penitenciário Daniel Senna, ex-diretor do Presídio de Blumenau, foi nomeado como interventor administrativo e assumirá o presídio nesta quinta-feira.

O secretário disse que também criou uma comissão para realizar auditoria no estabelecimento prisional. Lima também destacou a corregedoria da SJC para atuar no presídio nesta quarta-feira – a corregedora Tatiane de Souza Leandro acompanha o caso.

Indagado sobre a fuga de seis presos em março e se ela teria relação com os afastamentos dos servidores, o secretário afirmou desconhecer algo nesse sentido, mas que pela sua experiência é possível que haja alguma ligação na investigação.

A prisão de Caçador abrigava nesta quarta-feira 258 presos. A SJC considera que não há superlotação e que as instalações são adequadas.

Quatro servidores afastados

No começo do mês, a própria SJC havia afastado um outro agente por 60 dias em razão de sindicância interna. Com isso, chega a quatro o número de servidores fora das funções durante investigações. (NSC)

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.