Jovem suspeito de envolvimento com suposto ataque em escolas de Capinzal se retrata

Boatos de um suposto ataque em escolas de Capinzal colocou em pânico, nesta semana, pais de alunos, estudantes e mobilizou órgãos de segurança pública. Tudo começou com mensagens repassadas através de aplicativo de celular dando conta de que suposta ação semelhante à ocorrida em escola de Suzano, no interior de São Paulo, poderia ocorrer na escola municipal Viver e Conhecer e na escola de educação básica Belisário Pena.

Nesta quinta-feira (28) o capitão Cleverson Garcez esclareceu os boatos sobre a situação, que segundo ele seria uma “modinha”. Desde a tarde de quarta-feira (27) a polícia trabalha no caso, principalmente em busca de identificar os autores. Garcez coloca que é lamentável, muitas vezes ter que deixar de atender ocorrências mais importantes para averiguar esse tipo de situação, mas como o trabalho da polícia é preventivo, vários policias e o setor de inteligência foram colocados para trabalhar no caso.

O capitão também pede que os pais orientem seus filhos diante de situações como esta, porque o transtorno, tanto para a polícia quanto para a comunidade, é muito grande.

Diante de uma conversa, após identificar o envolvido, o menor alegou que foi um mal entendido e que se arrepende. O envolvido também disse se tratar de uma brincadeira de mau gosto, que está ciente dos transtornos que causou e pede desculpas pelo pânico e aos que foram prejudicados com a situação.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.