Justiça nega novo pedido de liberdade em favor de mãe acusada de envolvimento na morte do filho

Capinzal – O juiz Daniel Radünz negou novo pedido de liberdade provisória em favor de Vanessa Rodrigues da Silva, 22 anos, acusada de envolvimento na morte do próprio filho em Capinzal. Para a defesa a jovem deve ser absolvida e que a medida de prisão preventiva pode ser substituída por medidas cautelares. Vanessa já teve um pedido de liberdade provisória negado pelo juiz Daniel Radünz, assim como um pedido de habeas corpus negado pelo Tribunal de Justiça de Santa Catarina.

A ré é acusada de envolvimento na morte do filho Bryan Hemanuel Toldo, de dois meses. Vanessa está detida preventivamente no presídio regional de Joaçaba juntamente com o pai da criança, Aislan Ribeiro Toldo, 21 anos, que também já teve pedido de liberdade provisória negado. Bryan foi morto no dia 26 de março no loteamento Parizotto em Capinzal.

A denúncia do Ministério Público é por homicídio incluindo as qualificadoras “motivo fútil, meio cruel e recurso que impossibilitou a defesa da vítima”. Para o MP, Aislan seria o agressor do bebê e Vanessa teria se omitido no dever de agir para evitar o resultado. A Promotoria Pública requereu que após a instrução criminal o casal seja pronunciado para ir a julgamento popular. Ambos foram indiciados por maus-­tratos seguido de morte, mas a promotora Karla Bárdio Meirelles entendeu e denunciou que houve homicídio qualificado.

Audiência de instrução e julgamento foi marcada para o próximo dia 19. Às 13h30min para as testemunha de acusação e às 14h30min para as testemunhas de defesa. O casal está recolhido ao presídio regional de Joaçaba.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.