Laudo aponta a urgência na remoção de 20 residências em Zortéa

A equipe de engenharia da AMPLASC esteve no município nessa segunda-feira (15) para avaliar os danos causados pela enchente que atingiu o município no último dia 9.

O laudo vai auxiliar o prefeito Alcides Mantovani e os moradores dos imóveis afetados quanto à manutenção da habitabilidade, necessidade de reforma ou de interdição em virtude de risco presente e futuro. A avaliação vai ajudar também com o reconhecimento do Decreto de Situação de Emergência no município perante a Defesa Civil Estadual.

Foi confeccionado um Laudo Emergencial que foi apresentado ao governador nesta terça-feira (16) pelo prefeito Mantovani.

Remoção

O levantamento aponta a necessidade urgente de remoção de 20 residências, destas 14 em Área de Preservação Permanente (APP) e as demais também condenadas pelos danos causados em sua estrutura.

Como medida preventiva, a área foi isolada e os imóveis desocupados e interditados. A prefeitura estuda a possibilidade de realocar estas famílias em loteamento do próprio município em fase de escrituração.

Segundo o engenheiro Murilo Milanez, o mapeando da Bacia Hidrográfica do Lajeado dos Porcos pode identificar uma das causas da enchente.

“Com a modelagem da bacia observa-se uma área de drenagem de 1.640 hectares, tudo que chove nesta bacia, passa pelo perímetro urbano do município. Com a forte precipitação em curto espaço de tempo (160mm) ocasionou o transbordamento do lajeado, atingindo residências próximas, especialmente, localizadas no Bairro Imigrantes”.

Durante avaliação ficou evidenciado pelos profissionais da AMPLASC a força da água, que em quatro casos chegou a mover por completo a estrutura das casas, mantendo apenas no local os cepos de madeira que lhe davam sustentação.

“A água inundou o interior das residências chegando ao nível de 1,5 metros. Sorte ser fim de tarde, em que a maioria dos moradores não estavam em casa,” explicou a engenheira Juliana Censi. Ainda no mesmo Bairro, na Rua Amantina Antunes de Souza, a forte correnteza da água arrancou parte da camada de asfalto.

O laudo conclusivo da comissão formada com objetivo de levantar os danos causados pela enchente, deverá ser emitido em até 10 dias.
(Ascom/ AMPLASC)

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.