Lideranças devem ir à capital apelar indenizações do Contorno Viário

Capinzal – Os vereadores Bruno Michel Favero (SD), Gilmar Junior da Silveira (PSD) e Lucas Antônio Dorini (PMDB) apresentaram na sessão da noite desta quarta-feira (14) uma Moção de Apelo ao Governo do Estado para que faça o pagamento em caráter emergencial das indenizações para as famílias referente às desapropriações de terrenos do Contorno Viário. Solicitação semelhante já havia sido aprovada no ano passado, mas o impasse quanto às quitações financeiras aos proprietários ainda não foi solucionado completamente.

O vereador Bruno Michel Favero se colocou à disposição para ir a Florianópolis em audiência para sensibilizar os representantes do governo do estado quanto à necessidade de se fazer o pagamento o quanto antes às famílias atingidas pelo traçado da obra. “Eu me coloco à disposição para ir a Florianópolis tentar mais uma vez audiência para tentar resolver essa situação. Invadiram os terrenos dessas pessoas, de certa forma, mesmo que seja um pedaço, e não pagaram. Algumas famílias já receberam. Não tenho dúvida da importância do contorno viário, é um avanço substancial para o nosso município seja no trânsito pesado, comércio, indústria, mas não concordo com invadir terreno alheio, é uma obrigação do estado, dar exemplo, e a gente tem que lutar por isso”.

O presidente Gilmar Junior da Silveira mencionou a moção feita em 2017 através da Agência de Desenvolvimento Regional de Joaçaba. “Mais uma vez tomamos essa iniciativa. É uma situação que vem ficando difícil de lidar, vamos dizer assim. A gente já ouviu comentários que essa obra pode não ser entregue no prazo previsto devido a essas indenizações que ainda não foram feitas. Vamos tentar uma audiência com secretário [da Infraestrutura] Vampiro [Luiz Fernado Cardoso] ou com presidente do Deinfra, [Wanderley] Agostini. Estamos empenhados em tentar resolver essa situação”.

Por fim, o vereador Lucas Dorini reafirmou que a obra é de grande importância para Capinzal e para a região, mas a situação das indenizações tem que ser resolvida o quanto antes. “Eu tenho certeza que nenhum deles gostaria de atrapalhar o andamento das obras. Até porque os terrenos serão valorizados depois que estiver concluído o trabalho. Para isso é necessário que sejam indenizados.

É um direito dos atingidos por essa obra”. A moção foi aprovada por unanimidade e será encaminhada ao governo do estado. Em novembro um grupo de moradores obstruiu a passagem de máquinas da empreiteira responsável pela obra. A Polícia Militar precisou ser chamada para intermediar o impasse e os equipamentos foram liberados pelos moradores após a promessa por parte do governo de que as indenizações restantes seriam pagas até o final do ano. À época o levantamento apontava que cerca de 30 famílias ainda restavam ser indenizadas.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.