MacGyver capinzalense: Morador do Alto São Roque chama a atenção pelas suas invenções

Capinzal – Um morador de Capinzal pode ser considerado o MacGyver do município. Inspirado no personagem da série de televisão americana criada por Lee David Zlotoff, estrelada por Lucas Till e que fez sucesso no Brasil na década de 80, o capinzalense Adimilton Ferreira, 43 anos, tem provas na prática de que a ficção pode inspirar a realidade.

Ferreira reside na comunidade de Alto São Roque. Como o próprio nome diz, o lugar é alto e privilegiado para algumas façanhas, que para alguns poderiam ser impossíveis, mas não para o MacGyver capinzalense. Com apoio de um compadre, vizinho seu, Adimilton construiu uma rampa para voo livre, local onde já efetuou vários saltos. As proezas dele são testemunhadas pela esposa Andréia e pelos filhos Eduardo e Felipe.

Adimilton revela, em entrevista ao repórter Alexson Luiz, da Rádio Barriga Verde, que desde a infância já tinha a inspiração para inventar coisas. Ele lembra que a experiência na criação do primeiro carrinho não foi tão bem sucedida: cortou os dedos com um facão porque não tinha a ferramenta adequada para produzir as rodinhas do brinquedo.

“De lá que veio essa paixão, aí a gente foi se aperfeiçoando”, comenta. O capinzalense conta que a atração pelo voo começou com uma promoção da Rádio Barriga Verde chamada “Leve seu amor às alturas”. Depois disso, fez o curso de voo livre, o qual concluiu em nove aulas. O tempo, segundo ele, varia de cada aluno.

Depois de formado, Ferreira adquiriu os equipamentos. Como o ponto mais próximo para a prática, o Morro do Agudo em Tangará fica a cerca de 100 km, decidiu procurar um lugar mais próximo e, então, construiu a rampa no Alto São Roque.

“Depende fundamentalmente das condições climáticas”, avalia sobre as condições ideais para o voo. Ele conta que existem as ascendentes térmicas (bolsões de ar quente) onde o praticante tenta pegar altura nesses bolsões, as descendentes (formadas de ar frio) e o “lift”.

Ferreira conta que pouco vai ao Morro do Agudo. Em Capinzal já são cinco adeptos desse esporte. Entretanto, o inventor admite que a rampa no Alto São Roque pede um pouco de desenvoltura em relação ao ganho de altura, se comparado com o Morro do Agudo.

“Ela é bastante limitada, mas serve para treinamento”. Ferreira diz que o esporte requer muita técnica. “Não aconselho que alguém queira aprender por conta”, alerta. Entre as principais lembranças de Adimilton está a de quando ele voou no Alto São Roque vestido de Papai Noel. “Foi o fato que mais chamou a atenção nas redondezas. Virou uma brincadeira para as crianças no Natal”, se diverte.

Além do ar, Adimilton tem ainda feitos para a água. Ele também criou um motor multiuso que propulsiona embarcação chamada aerobarco, mas que movimenta da mesma forma um quadriciclo que Adimilton construiu anexando duas bicicletas. “Em uma semana e meia eu conclui o trabalho”, explica em relação ao aerobarco. Segundo ele, na embarcação cabem tranquilamente dois adultos ou até quatro crianças.

Na casa de Adimilton a presença de cata-ventos é outra atração. “Eu já vendi uns oito cata-ventos. O pessoal vê e gosta”. Até o galpão onde armazena os equipamentos foi construído através de materiais reutilizáveis. Quando se aposentar  Adimilton pretende montar uma pequena fábrica . Um mini-trator de alumínio e bomba para encher pneu com motor de geladeira foram outras criações do MacGyver. O próximo desafio: construir um Paramotor. As tentativas até já aconteceram, mas o motor não era o mais ideal e seguro.

 

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.