Maximiliano: “Sensação de insegurança e impotência”, lamenta prefeita que teve filho refém

Momento em que o assaltante ordena, Eduane sobe na caminhonete e se junta aos reféns

Maximiliano de Almeida – “Sensação de insegurança e impotência”. Assim definiu a ação de criminosos no município a prefeita de Maximiliano de Almeida no Alto Uruguai Gaúcho, Dirlei Bernardi dos Santos. Na tarde desta quarta-feira (01) pelo menos seis bandidos encapuzados e fortemente armados assaltaram simultaneamente o Banrisul, Banco do Brasil e a cooperativa de crédito Cresol.

Durante a ação os bandidos efetuaram diversos disparos de arma de fogo, fizeram cordão humano como escudo e fugiram levando reféns, entre eles, Eduane Bernardi dos Santos, filho da prefeita e que há poucos dias trabalha como estagiário no Banrisul.

A prefeita informou em entrevista à rádio Interativa FM que nos próximos dias estará solicitando juntamente com entidades um pedido de maior segurança e efetivo, além da elaboração de um sistema de monitoração por câmeras no centro e nas entradas do município para tentar evitar que fatos como este voltem a acontecer.

O filho da prefeita, assim como os outros reféns, não ficaram feridos. A técnica do “novo cangaço”, que consiste na utilização de pessoas como proteção aos bandidos em eventual confronto com a polícia, vem aterrorizando pequenos municípios do interior gaúcho.

Na fuga os criminosos abandonaram a caminhonete L-200 com placas de São Marcos/RS utilizada nos assaltos. Outro veículo de cor branca teria dado apoio na fuga dos bandidos que até o momento não foram localizados. O montante levado nos assaltos não foi divulgado.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.