Michel Temer avisa que não cederá mais na Previdência

Brasília - DF, 22/04/2017 POLITICA Presidente Michel Temer durante entrevista à Televisión Española (TVE) Foto: Marcos Corrêa/PR

Brasil – Depois de mais de três horas de reunião convocada de última hora, no Palácio do Jaburu, o presidente Michel Temer avisou a ministros e líderes do governo que não há mais espaço para ceder a pedidos de categorias que insistem em ter seus benefícios mantidos na reforma da Previdência.

O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, que voltou de Washington após a reunião do Fundo Monetário Internacional (FMI), participou do encontro e reiterou que “há uma enorme expectativa” com a aprovação do texto.

“Não há espaço para concessão”, disse o líder do governo, Aguinaldo Ribeiro (PP-PB). “O relatório do relator é que vai vingar”, emendou o ministro-chefe da Secretaria Geral da Presidência, Moreira Franco.

Para assegurar que nenhum nova brecha será aberta para atender categorias que estão pressionando o governo para manter seus privilégios, depois de concessões feitas na semana passada, Temer anunciou que vai convocar os ministros políticos para uma outra reunião, nesta segunda-feira, 24, às 17 horas, no Palácio do Planalto. Ele quer “empenho máximo” dos ministros e líderes no convencimento às suas respectivas bancadas para aprovar o texto, seguindo os cronogramas traçados, sem novos atrasos.

Ao defender a aprovação do texto como está no relatório, Temer enfatizou que “o texto foi construído fruto do diálogo com os partidos da base aliada” e “todos são responsáveis”.

O governo quer pressa na aprovação não só do texto da Previdência, a partir de 2 de maio, na comissão Especial, mas da reforma trabalhista, esta semana.

Além de Temer, Meirelles, Moreira e Aguinaldo, participaram da reunião no Jaburu o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), o líder do governo no Congresso, deputado André Moura (PSC-SE) e o ministro Antonio Imbassahy (Governo), Moreira Franco (Secretaria Geral da Presidência) e Henrique Meirelles (Fazenda). O líder da Maioria na Câmara, deputado Lelo Coimbra (PMDB-ES), também participou do encontro.

Na reunião, Meirelles, disse que no exterior a maioria das conversas foram em torno da necessidade de aprovar a reforma da previdência para a economia voltar a crescer. Para ele, a aprovação da reforma será “um divisor de águas” para o Brasil.

Segundo Coimbra, a reunião foi para fazer um “ajuste de procedimentos”. “Estamos no aquecimento. A base estava um pouco solta”, disse o deputado.

A reforma trabalhista deve ser votada na terça-feira, 25, na comissão e ir para o plenário no dia seguinte. Não está descartada a possibilidade de o governo pedir que os partidos da base aliada fechem questão para garantir os 308 votos na reforma. (Estadão)

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.