MP abre inquérito para apurar comercialização de sementes por empresa de Capinzal

Capinzal – O Ministério Público da Comarca de Capinzal instaurou inquérito civil para apurar a eventual comercialização irregular de sementes pela empresa Wagner Agroindustrial Ltda. O procedimento foi aberto na última quinta-feira (08) pela 1ª Promotoria de Justiça da comarca, sob a responsabilidade do promotor Elias Albino de Medeiros Sobrinho. O inquérito tem a participação da 2ª Promotoria de Justiça da Comarca de Capinzal.

Os proprietários da empresa enfrentam entrave judicial com integrantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) que deverão deixar a Fazenda Volta Grande, na comunidade de Volta Grande, interior de Zortéa. A decisão foi proferida em liminar concedida aos proprietários do imóvel pela Justiça da comarca de Campos Novos na semana passada.

O imóvel ocupado pelo MST é um dos que servem para o plantio e cultivo de grãos que são comercializados pela empresa.

A fazenda foi ocupada na manhã do último dia 06. A liminar, assinada pelo juiz Juliano Serpa, ressalta que o MST retornou à fazenda de propriedade da Wagner Agroindustrial há pouco mais de quatro meses depois de terem sido obrigados a deixar o local mediante um mandado de reintegração de posse. A desocupação ocorreu no dia 28 de abril com auxílio de um grande aparato policial.

O magistrado mencionou, ainda, que a ocupação demonstra total desrespeito por parte do MST às instituições, seja do Poder Judiciário ou Polícia Militar.

 

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.