MP arquiva representação anônima contra suposta comemoração na eleição com viaturas da PM

Capinzal – O Ministério Público da comarca de Capinzal indeferiu pedido de instauração de investigação pelo suposto uso de viaturas da Polícia Militar em comemoração de candidato eleito nas eleições deste ano. A representação, anônima, foi encaminhada à 1ª Promotoria de Justiça. Diante da análise de informações requeridas ao comando da corporação, o promotor Elias Albino de Medeiros Sobrinho decidiu por indeferiu a investigação por ausência de provas do uso irregular de bens públicos ou desvio de conta de agentes que pudessem configurar ato de improbidade administrativa.

O assunto foi levantado após vídeo publicado nas redes sociais na noite do domingo de eleições, dia 28 de outubro. Nas imagens aparecem as viaturas em comboio na rua Ernesto Hachmann com giroflex e sirenes ligadas. O questionamento era de uma possível comemoração pela eleição do governador Carlos Moisés da Silva e do presidente Jair Messias Bolsonaro. Um parlamentar cobrou esclarecimentos do comando da PM.

O comandante da 2ª Companhia de Polícia Militar, Capitão Cleverson Garcez, concedeu uma entrevista coletiva no dia seguinte para esclarecer os fatos. Garcez iniciou destacando que a justificativa era em razão do respeito à população capinzalense e ourense.

“As viaturas não participaram da carreata, mas, estavam em serviço para garantir a ordem pública. Em função de todo o movimento foi necessário o uso da sirene e do giroflex para que fôssemos vistos no meio do grande fluxo de veículos”, explicou o comandante. O comandante da PM disse ainda que, independentemente do resultado, a finalidade das viaturas era garantir a segurança da população e não participar da manifestação.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.