MP denuncia três suspeitos de espancar homem até a morte, em SC

Palhoça – O Ministério Público de Sana Catarina apresentou denúncia contra os três homens suspeitos de agredirem Deivid Duarte da Silva, de 20 anos, até a morte. Vítima de linchamento no dia 17 de setembro, Deivid sofreu traumatismo craniano e morreu ainda no local, um posto de gasolina, no bairro Aririú, em Palhoça.

Para o Promotor de Justiça Alexandre Carrinho Muniz, os três homens agiram “com o firme propósito de ceifar a vida de outrem, utilizando-se de capacetes e objetos diversos que portavam para brutalmente agredir a vítima, desferiram vários golpes contra Deivid, os quais vieram a acertá-lo em órgãos vitais, causando-lhe a morte”.

No documento, apresentado na última segunda-feira (30), ele denuncia Jaison Pereira, Adriano Joel Albino e Nelson Bonifácio Albino Neto. Segundo o Promotor, os três “agiram por motivo torpe, ou seja, porque desconfiavam que a vítima fosse o autor do crime de roubo cometido contra Nelson e, assim, praticaram o linchamento como forma de vingança”.

Ainda conforme a denúncia, encaminhada à 1ª Vara Criminal de Palhoça, “o crime de homicídio ocorreu mediante recurso que impossibilitou a defesa do ofendido, pois a vítima foi brutalmente rendida e atacada pelos denunciados, ou seja, em expressiva vantagem numérica, o que anulou qualquer atitude da vítima no sentido de preservar sua vida”.

Ao todo, o Ministério Público indicou sete testemunhas para serem ouvidas no processo. De acordo com o delegado Arthur de Oliveira Lopes, responsável pelo caso na esfera policial, vários depoimentos estão sendo colhidos desde o crime.

Quebra de sigilos

Na denúncia enviada à 1ª Vara Criminal de Palhoça, o Promotor de Justiça Alexandre Carrinho Muniz solicita perícia no telefone apreendido com a vítima.
Além disso, Muniz pede a quebra dos sigilos telefônicos da vítima e dos três suspeitos, na tentativa de verificar onde eles estavam entre as 12h do dia do roubo até 18h do dia 17, data do linchamento.

Por fim, o Ministério Público também quer saber se Nelson, um dos denunciados teve movimentação bancária entre o dia do roubo e um dia após o crime.

O que diz a defesa

Os três denunciados são representados pelo advogado Osvaldo José Duncke. Ele afirma que apresentará defesa dos seus clientes em até 10 dias, prazo comum para manifestação das partes. Duncke adiantou que, segundo ele, o crime praticado não seria de homicídio, e sim lesão corporal seguida de morte – considerado de menor gravidade.

O advogado também antecipou que deverá solicitar habeas corpus dos três denunciados pelo Ministério Público. Eles estão detidos preventivamente, no Complexo Penitenciário da Agronômica, em Florianópolis. (Informações ND Mais)

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.