Pagamento dos salários dos servidores de Capinzal deverá estar normalizado até esta noite

Capinzal – Funcionários da prefeitura de Capinzal passaram a madrugada desta quinta-feira (29) trabalhando para normalizar a situação do pagamento dos servidores municipais referente a este mês de março. Um impasse havia surgido com a rejeição do projeto de lei nº 10 que previa ganho real de 0,19% e que foi rejeitado pelos vereadores por 4 a 3 na sessão da terça-feira. O projeto de revisão geral anual, com índice de 1,81% foi aprovado.

Conforme o prefeito Nilvo Dorini, a administração havia se preparado para conceder os 2% aos servidores, por isso já havia preparado a folha de pagamento com índice incorporado a fim de não atrasar os pagamentos. Contudo, a rejeição de um dos projetos fez com que todos os dados relativos à folha fossem relançados. A previsão para conclusão e efetivo pagamento, previsto para esta quinta, seria somente no dia 10 de abril.

Com isso, a prefeitura iniciou uma corrida contra o tempo para conseguir viabilizar a liberação dos valores para os servidores ativos, inativos e pensionistas do Poder Executivo.

Os trabalhos continuaram pela manhã com uma força-tarefa envolvendo servidores dos setores de Recursos Humanos, Tesouraria e Contabilidade, com apoio logístico da Caixa Econômica Federal que é a instituição financeira responsável pela administração das contas dos servidores.

“Quero primeiramente agradecer às pessoas que trabalharam no projeto de reajuste, especialmente ao setor de Recursos Humanos, Tesouraria, Contabilidade, e hoje também através da Caixa Econômica Federal, para que nós possamos, de fato, solucionar um problema que nós levaríamos aí seis, sete dias para resolver. Mas a equipe trabalhou incansavelmente durante a noite e madrugada para resolver essa situação que era uma preocupação muito grande da administração”, comenta Dorini.

Ele acredita que não faltou diálogo para a aprovação do projeto do ganho real. “Historicamente nunca foi reprovado projeto de reajuste salarial. Quem sabe o que pode ser concedido de aumento é a administração. Os vereadores poderiam até criticar, rebater, repudiar a correção de 0,19%, porque eu mesmo já fui vereador, e também já critiquei, mas jamais votar contra. Quem perdeu com essa história foram os funcionários. A prefeitura vai economizar entre R$ 8 mil e R$ 10 mil por mês porque esse índice incide nas férias, vale-alimentação, décimo-terceiro salário, INSS, numa série de situações que a prefeitura vai deixar de incidir esse reajuste. A nossa parte nós fizemos, até ouvimos comentários, porque mandaram somente na metade do mês, ora nós temos que fazer o estudo de impacto, de quanto seria o aumento da folha de pagamento. Encaminhamos para a Câmara os projetos, todos os anos foi assim. Por isso quero agradecer aos vereadores Lucas, Bruno Michel, Coronetti e Gilmar, que se precisasse votar teria votado pela aprovação. Os demais não pensaram nos funcionários”, ressalta.

Dorini também adianta que, para o ano que vem, a prefeitura tem que conceder o INPC, conforme a lei. “No ano que vem vai ser a mesma coisa. Se houver a possibilidade de dar ganho real, nós vamos dar. Quem sabe como está o caixa da prefeitura, somos nós, como está no limite de gasto da Lei de Responsabilidade Fiscal”.

O secretário de Administração e Finanças, Ivair Lopes Rodrigues, explica que desde a terça-feira quando soube do veto ao projeto de reajuste de 0,19% iniciou os trabalhos para alteração dos dados da folha de pagamento. “Com apoio do sistema Betha, com dois técnicos, um de Chapecó e um de Criciúma, mais três pessoas do RH, estão fazendo os levantamentos para serem enviados ao banco. Muitos dos lotes estão gradativamente sendo liberados. Temos que agradecer a dedicação dos servidores pelo comprometimento”.

Rodrigues reforça que o valor que seria liberado já teria o acréscimo de 2% no total, com incorporação em todos os índices, por isso teve que ser desfeito e lançado novamente. “Não é irresponsabilidade, e sim organização, porque nós já tínhamos programado para fazer os pagamentos em dia. O município estava preparado para conceder o aumento e não reduzir. A Lei não prevê o pagamento retroativo. Em março é feito o reajuste, e nele é aplicado referente aos dozes meses anteriores. Entre 8 e 11 de cada mês sai o índice. Nas prefeituras da região ninguém deu lucro real, então, nós não prevíamos índice inferior a 2%. Mas os vereadores têm a autonomia para votar conforme acharem conveniente”.

O gerente da Caixa Econômica Federal, Nilton Arnaldo Schmidt, explicou que o sistema de folha de pagamento é todo digital. “A prefeitura gera a folha e faz o comando automático para entrar na caixa e debita da conta da prefeitura. Conforme o secretário Ivair explicou, tiveram que refazer todas as folhas, que são várias. Existem dois sistemas na caixa para rodar a folha e conceder os créditos. Os que já estavam no sistema novo estão recebendo normalmente. Os demais, esse é o último mês que vai utilizar esse sistema. Mas a partir do próximo mês vai ser tudo mais ágil. Como a folha foi gerada de madrugada, existe o sistema de proteção e segurança dos bancos, o sistema desconfiou de possível invasão e bloqueou. Leva 48 horas para fazer a liberação. Mesmo não tendo pessoas suficientes nós vamos dar um jeito de creditar a todos manualmente. Acredito que até a noite a situação de todos esteja regularizada. Mas a gente pede que as pessoas não saquem o dinheiro, utilizem os cartões, em virtude da proximidade do feriado. De uma hora para outra, em função dos riscos, as pessoas vão sacar o dinheiro e não vai ter o suficiente”.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.