Parapentista que sofreu acidente volta ao HUST para agradecer atendimento

Obrigado! Uma palavra com grande significado, principalmente, quando utilizada para expressar gratidão, reconhecimento. E foi para dizê-la pessoalmente, que Rafael Santos de 31 anos, morador de Santo Amaro da Imperatriz, cidade que fica a cerca de 30 km de Florianópolis, veio ao Hospital Universitário Santa Terezinha (HUST), na tarde de quinta-feira 1º de novembro. A data não poderia ser mais emblemática. Há cerca de um ano ele estava internado, se recuperando de duas cirurgias e lutando para superar o trauma de um grave acidente que poderia ter lhe deixado paraplégico.

Praticante de parapente, em novembro de 2017 Rafael estava na cidade de Tangará para participar de uma competição. A cidade é conhecida como a “Terra do Voo Livre”, reunindo amantes desse esporte no local conhecido como “Morro Agudo”. E foi de lá que ele saltou. O vento, no entanto, não estava a favor. Pouco tempo no ar, ocorreu a queda, de uma altura de cerca de 20 metros. Mata fechada, diversas fraturas. Com ajuda da tecnologia ele conseguiu acionar socorro. Foi encaminhado para o Hospital em Campos Novos e depois, transferido para o HUST.

— A primeira pessoa que vi ao dar entrada no HUST foi enfermeiro Dani Felipe de Souza. Minha família ainda não tinha chegado. Estava nervoso e com medo. Ele foi conversando e de um jeito tranquilo e seguro fez com que me acalmasse — afirmou Rafael.

No HUST, Rafael foi informado que entre os machucados havia uma fratura na vértebra L1 e o outra no pulso. Ele passaria por cirurgias e depois por reabilitação. Não estava descartado o risco de talvez não andar. Foram nove dias de internação, no quarto na época denominado “Canarinho”, pertencente à ala cirúrgica do Sistema Único de Saúde (SUS).

— Conheci histórias diversas daqueles que estavam internados junto comigo. Vou encontrar com dois deles para confraternizar. Mais tarde também, vou conhecer a estátua do Frei Bruno que via da janela do quarto — lembrou.

E foi por ter recebido um atendimento que considera excelente que ele voltou. Acompanhado da esposa Carla e dos pais João Paulo e Angela, Rafael foi recepcionado com a Gerente de Enfermagem Mayara Chiamulera e pela a Enfermeira Suelen Gonçalves. Em seguida, seguiu numa visita para rever profissionais do setor de Emergência, Enfermagem e da Clínica Cirúrgica. Palavras de gratidão e abraços não faltaram nesse momento.

— Me sinto realizado por poder voltar aqui recuperado e agradecer quem com tanto carinho e dedicação me atendeu. Lembro de todos e serei sempre muito grato — afirmou Rafael.

Na conversa com os profissionais que encontrou, Rafael relembrou sua história e o mais importante: mostrou o quanto está recuperado. A prova estava na medalha pela participação na “corrida da Paz” em Florianópolis, na qual correu o trajeto de 5km e que trouxe para ser entregue ao neurocirurgião doutor Moises Augusto de Araújo e de forma simbólica também homenagear todos aqueles que lhe atenderam no HUST.

— Quando soubemos do acidente e viemos para cá pensamos em transferi-lo. Mas vendo a estrutura disponibilizada aqui e conversando com os profissionais vimos que estava em boas mãos. O HUST é um ótimo hospital — comentou Joao Paulo, pai de Rafael.

O gesto de Rafael emocionou a equipe do HUST. Para os funcionários, o agradecimento serviu de motivação.

— Esse reconhecimento nos mostra a proporção do nosso trabalho. Na rotina acabamos desempenhando os procedimentos várias vezes no dia, em várias pessoas diferentes, saber que ele sentiu o cuidado que temos com a individualidade de cada um, nos motiva a continuar buscando sempre bem atender. E o melhor de tudo foi vê-lo recuperado. Ficamos muito felizes com a visita — concluiu a Gerente de Enfermagem Mayara Chiamulera.  (ASCOM/HUST)

 

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.