Postos de saúde que ampliarem horário de atendimento receberão mais recursos

Stethoscope

Uma das principais reclamações da população em relação as Unidades Básicas de Saúde (UBS) é o horário de atendimento. Quando um posto abre tarde e fecha cedo, parte da demanda acaba sendo direcionada para as Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) e hospitais, que ficam superlotados. Na tentativa de reverter essa situação, o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, anunciou uma nova medida durante a Marcha dos Prefeitos nesta terça-feira (9), em Brasília. A partir de agora, as unidades que funcionarem 60 ou 75 horas semanais, sem intervalo de almoço e, opcionalmente, aos sábados ou domingos, receberão mais recursos do Governo Federal.

Segundo o ministro, a ideia é possibilitar que as pessoas tenham acesso aos serviços antes e após o horário de trabalho. “É um modelo que funciona bem para todos, cidades pequenas, médias e grandes. Imagina só a situação de uma mulher e marido que começam a trabalhar às 6h da manhã. A esta hora, o posto está fechado. No almoço, porque o funcionamento é de apenas 40h, também está fechado. Na volta para casa, o posto também está fechado, porque o expediente vai só até às 17h, em média. O que resta, então? As UPAS e hospitais, que ficam lotados e é justamente isso que vamos trabalhar para resolver”, afirma.

MAIS RECURSOS

Com isto, unidades que recebiam R$ 21,3 mil para custeio de até três equipes de Saúde da Família receberão cerca de R$ 44,2 mil, caso o gestor opte pela carga horária de 60h semanais – um incremento de 106,7%. Nesse mesmo modelo, caso a unidade possua atendimento em saúde bucal, o aumento pode chegar a 122%, passando de R$ 25,8 mil para R$ 57,6 mil.

Segundo o Ministério da Saúde, os gestores locais de saúde terão autonomia para indicar quais serão as unidades que terão o horário de atendimento ampliado, dentro de critérios estabelecidos e de acordo com a demanda local. A medida também permite mais flexibilidade na organização da Atenção Primária, como carga horária de profissionais da Estratégia Saúde da Família, que poderão trabalhar em escala, intercalando as equipes no atendimento à população.

Além disso, o Governo Federal anunciou que destinará R$ 400 milhões para qualificar e ampliar a rede pública de saúde em 2.026 municípios. Os recursos serão destinados ao fortalecimento dos serviços ofertados, como Academias de Saúde, Unidades Básicas, Saúde Bucal, UPA, entre outros.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.