Preço pago ao produtor de trigo aumenta em Santa Catarina

Produtor Mario Fries afirma que neste ano a colheita de trigo terá mais qualidade (Foto: Nadia Michaltchuk/Diário do Iguaçu)

Os preços pagos ao produtor de trigo tiveram alta neste ano. Isso é o que aponta o último boletim agropecuário do Centro de Socioeconomia e Planejamento Agrícola (Epagri/Cepa), divulgado em outubro. Em setembro, o preço médio de R$ 43,41 pago pela saca de 60kg foi 0,2% maior do que os R$ 43,33 verificados em agosto.

Em relação ao ano passado, a valorização chega a 1%. Porém, a expectativa dos analistas da Epagri/Cepa é de uma oscilação negativa nos valores para breve, já que muitos moinhos e agroindústrias realizaram compras futuras e agora estão recebendo o produto que foi comprado a preços antigos.

As estimativas da Epagri/Cepa apontam uma redução da área plantada no Estado na ordem de 7% em setembro. Isso deve diminuir a produção em cerca de 6% neste ano. O rendimento médio ainda apresenta aumento de 1%, mas poderá reduzir na medida em que a safra avança e a estiagem persistir.

Em Chapecó, a estimativa de área plantada neste ano é de 11,5 mil hectares e 31,7 mil toneladas de trigo. Em comparação ao ano passado, houve aumento de 4% no rendimento médio. Já em Xanxerê, a estimativa de área plantada é de 11,4 mil hectares e 35,4 mil toneladas de trigo. Isso representa um aumento ainda maior no rendimento médio, chegando a 6% em relação ao ano anterior.

Menos chuva, mais qualidade 

Em comparação à safra passada, a colheita de trigo começou atrasada na região Oeste de Santa Catarina. Isso porque desde junho não chove adequadamente em todo o Estado. A estiagem prolongada atingiu praticamente todo o ciclo de cultivo das lavouras de trigo.

O produtor Mario Fries, da linha São José, em Guatambu, explica que o trigo precisa de chuva do período de crescimento, isto é, nos meses de julho e agosto. Porém, na sua fase final, que ocorre nos meses de setembro e outubro, é melhor que não chova muito. “Quando chove muito na fase final, dá problema de fungo no cacho”, destaca.

Por esse motivo, o produtor afirma que em relação à produtividade, isto é, a quantidade, a safra não será muito boa. No entanto, em relação à qualidade do trigo, será uma das melhores colheitas dos últimos anos. Isso significa que o consumidor final irá receber um produto com mais propriedades nutricionais e o produtor irá receber mais pelo cereal.

Como é determinada a qualidade do trigo

Vários atributos de classificação podem determinar a qualidade industrial do trigo. Para garantir farinhas de boa qualidade, o teor de proteína deve ser acima de 12%. Em relação à classificação comercial, o peso do hectolitro (PH) tem grande importância, pois esse fator determina o rendimento da extração de farinha.

As proteínas se acumulam nos grãos no final do ciclo da cultura e, por isso, é tão importante que não haja excesso de chuva nesse período. Planejamento, variedades apropriadas e fontes de proteínas de alta eficiência são itens indispensáveis na produção de grãos de trigo de alta qualidade. (Com informações do Diário do Iguaçu)

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.