Processo contra dupla detida com bicho de pelúcia recheado de drogas em Piratuba entra nas alegações finais

Capinzal – O juiz Daniel Radünz solicitou ao Ministério Público a apresentação das alegações finais no processo envolvendo dois concordienses acusados de tráfico de drogas. Ambos respondem ao processo em liberdade após a revogação da prisão preventiva ocorrida no dia 17 de abril. No dia 5 de maio, os réus tiveram audiência no fórum da comarca de Concórdia.

L.F.S e L. de B.B., foram presos no dia 2 dezembro de 2016, por volta das 20h30min em Piratuba. L.F.S foi abordado na cabeceira da ponte Irineu Bornhausen em Piratuba após a Polícia Militar local receber informações da Polícia Militar de Concórdia de que um grupo estaria se deslocando a Piratuba para vender drogas durante um evento.

No interior da Picape Corsa conduzida por L.F.S a PM encontrou um bicho de pelúcia recheado de drogas. No veículo também estava a companheira do réu, que foi liberada. Ele disse em depoimento à polícia ser usuário de maconha, mas negou a propriedade da droga apreendida em seu veículo.

L. de B.B, também morador de Concórdia, conduzia uma motocicleta. Na carona estava um adolescente. Ao chegar a Piratuba, L. de B.B, por estar sem habilitação e o documento da moto, teria tentado fugir, porém, sem sucesso. Lucas teria assumido a propriedade do entorpecente e afirmado ser usuário de drogas. Ele disse ter comprado a droga em Concórdia e também foi preso.

Na delegacia de polícia a polícia constatou que no pote havia 15 gramas de cocaína, três comprimidos de ecstasy, 15 micropontos de LSD e 47 gramas de maconha. O Ministério Público denunciou a dupla alegando que ambos eram proprietários das drogas. A sentença deverá ser proferida em breve pelo juiz Daniel Radünz. 

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.