Reaproveitamento de resíduos de peixe move indústria catarinense

Estado – Com cerca de 150 mil toneladas por ano, Santa Catarina é o maior produtor de pescados do país. Segundo cálculos da indústria da pesca, 70% desse montante era desperdiçado e não chegava ao consumidor.

Na Grande Florianópolis, uma empresa tem consumido parte dessas sobras. A Agroforte, indústria de processamento de resíduos, transforma os restos dos pescados em matéria-prima para a fabricação de alimento animal, como farinha e óleo. Além do ganho econômico, a empresa gera resultados ambientais pelo reaproveitamento. No último ano, a Agroforte investiu cerca de R$ 2 milhões em tecnologia.

A empresa recebe diariamente toneladas de resíduos de pescado. O material é resultado da sobra da filetagem realizada em peixarias e indústrias pesqueiras de todo o litoral catarinense. Após a transformação, o novo subproduto é comercializado com empresas nacionais e também para outros países, como Chile, Argentina, Taiwan, Bangladesch, Vietnam e Panamá. Já a água resultante deste processo é tratada e devolvida ao meio ambiente.

“Toda carga que chega à Agroforte é verificada para ver se está de acordo com controles rígidos do Ministério da Agricultura, sendo imprescindível a apresentação do Manifesto de Transporte de Resíduos Sólidos (MTRS), que garante a rastreabilidade e qualidade destes resíduos. Apenas cargas que atendam os padrões de qualidade são recebidas e processadas”, destaca Luiz Leme, diretor executivo da empresa.  (Adjori)

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.