Secretaria da Saúde alerta para criadouros do Aedes aegypti em cemitérios

Com faixas e placas de orientação instaladas em cemitérios públicos, a Secretaria de Saúde reforçou as ações preventivas em Santa Catarina ao público que visita os cemitérios nesta sexta-feira (2), Dia de Finados.

A proposta é evitar a instalação de focos transmissores da dengue e manter os cemitérios fora do risco de proliferação do mosquito Aedes aegypti. No estado, pelo menos 75 cidades estão infestadas, segundo o relatório da Diretoria de Vigilância Epidemiológica (Dive-SC).

As medidas preventivas devem ser adotadas durante todo o ano, porém, em função da data, em que muitas pessoas prestam homenagens com vasos de flores e plantas, estão sendo reforçadas.

Em Itajaí, os agentes de endemias fazem uma varredura à procura de focos e as amostras suspeitas são recolhidas e enviadas ao laboratório de análises para diagnóstico.

Faixas de alerta foram instaladas nos cemitérios de Criciúma. “Os cemitérios são considerados pontos estratégicos. Todos os agentes vão e olham bem os vasos, viram os vasos que tem água e larva”, explica o coordenador do programa de combate a dengue, Robson Teller.

Equipes trabalham durante o feriado nos maiores cemitérios da cidade do Sul catarinense para orientar as pessoas. De janeiro até novembro, foram identificados 16 focos do mosquito da dengue, sendo que o último foi em junho.

Veja algumas dicas para a limpeza e manutenção dos túmulos:

  • Ao lavar os túmulos, troque a água dos vasos por terra ou areia;
  • Observe se há locais com acumulo de água e elimine-os;
  • Jogue no lixo os recipientes usados na limpeza dos túmulos;
  • Coloque areia ou terra em locais do túmulo que possam acumular água;
  • Floreiras de concreto devem estar furadas, para permitir escoamento da água.

(G1)

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.