Temperaturas negativas em SC: conheça cinco ações do governo em dias de frio extremo

Estado – O frio voltou a derrubar as temperaturas em Santa Catarina nesta semana. Na madrugada desta quarta-feira, 17, a estação da Epagri/Ciram em Urupema, na Serra catarinense, chegou a marcar -4,9ºC. Em 26 municípios do Planalto Sul, Planalto Norte e Meio Oeste foram registradas temperaturas mínimas negativas. Ponte Alta do Norte, com -2,5ºC, e Monte Castelo, com -1,3ºC, também foram destaque.

E a tendência é que na quinta-feira, 18, o fenômeno se repita. A previsão é de temperaturas baixas ao amanhecer, próxima de zero no Planalto Sul e em torno de – 2°C nas áreas mais altas da região, com geada isolada.

Embora as temperaturas negativas atraiam turistas e movimentem a rede hoteleira, bares e restaurantes na Serra catarinense, dias de frio extremo requerem trabalho e atenção. Em todo o Estado, técnicos e servidores colocam em prática ações especiais de proteção e prevenção. Confira abaixo cinco medidas – algumas fundamentais e outras curiosas – que são tomadas durante o inverno.

1. Pomares congelados

 Técnica de controle de geadas via aspersão de água no pomar da Família Suzin, em Videira | Foto: Alceu Assis J. Vicente/ Epagri

O frio é fundamental para o desenvolvimento de frutas como a maçã, a uva, o pêssego e a ameixa. No inverno, as mudas entram em dormência para se preparar para o novo ciclo de floração. Mas a ocorrência de geadas tardias pode ser prejudicial para as plantas – e até matá-las.

Uma das estratégias de manejo da Epagri para os dias de temperaturas baixas é o controle por aspersão de água. A ideia é molhar a planta, para um congelamento rápido e, assim, evitar que ela queime com a geada.

“A água congelada mantém a planta a 0ºC e impede que ela atinja temperaturas negativas, o que prejudica a planta”, diz André Luiz Kulkamp de Souza, gerente da Estação Experimental de Videira.

2. Sal na pista

 Policiais já despejaram 2 mil quilos de sal na Serra do Rio do Rastro este ano | Foto:  Divulgação/ PMRv

É uma regra da física: quando a temperatura chega a 0ºC, a água entra em estado sólido. Nas rodovias catarinenses, esse fenômeno é motivo de preocupação e alerta. Para evitar o congelamento da pista, a Polícia Militar Rodoviária (PMRvSC) costuma despejar sal em áreas como a Serra do Rio do Rastro, o Meio-Oeste catarinense e a Serra Dona Francisca.

Os policiais usam uma viatura com caçamba e espalham o sal na rodovia, o que reduz a chance de congelamento da água. Além disso, as ações de patrulhamento são intensificadas, já que com neblina e aumento de tráfego em áreas de serra – o que costuma ocorrer nas regiões turísticas com previsão de frio. De acordo com o capitão da PMRv Tiago Teixeira Ghilardi, só neste ano já foram despejados dois mil quilos de sal na Serra do Rio do Rastro – o volume é superior ao usado nos últimos três anos.

3. Ração e controle de temperatura das abelhas

 Bife proteico é colocado como alimento para as abellhas | Foto: Divulgação/ Epagri

Durante o inverno, há poucas flores e frutas disponíveis na natureza, o que reduz o alimento disponível para as abelhas. Por isso, os técnicos da Epagri orientam os apicultores a preparar um complemento rico em proteínas e energia que ajuda esses insetos a atravessar o período de frio.

Essa ração é feita com açúcar, proteína de soja e levedura de cerveja. A massa que pode ser moldada em formato de um bife é colocada sobre as caixas de abelhas, explica Rodrigo Durieux da Cunha, extensionista da Divisão de Estudos Apícolas da Epagri.

Além do alimento, o controle do frio e da entrada de vento nas caixas é outra medida importante. Isso é feito com a colocação de um “alvado invertido”, uma peça na parte da frente do ninho, o que ajuda a controlar a temperatura.

O extensionista reforça que essas ações são indicadas para as abelhas africanizadas – as que têm ferrão.

4. Alerta e atenção para os moradores de rua

 O Centro Integrado Regional de Gerenciamento de Riscos e Desastres (CIGERD) integrou uma ação com moradores de rua em Criciúma | Foto: Divulgação/ Defesa Civil

A Defesa Civil de Santa Catarina emite alertas em casos de frio extremo e orienta a população a tomar medidas de proteção nestes casos. Além disso, orienta e atua em parceria com os municípios recomendando atenção especial com a população mais vulnerável, a exemplo de crianças, idosos ou pessoas em situação de rua. Este ano, vários abrigos foram abertos em diversos pontos do Estado e diversas ações realizadas.

O monitoramento meteorológico da Defesa Civil é realizado 24 horas por dia. Todas as informações, avisos e alertas estão disponíveis no site, redes sociais e mensagens de texto SMS.

Para receber notificações de emergência em seu celular basta cadastrar o Código de Endereçamento Postal (CEP) do local onde mora ou do local que deseja ser monitorado. Envie uma mensagem de texto SMS, do seu celular,  com o CEP para o número 40199. Quem já possui cadastro não precisa se registrar novamente. Para incluir um novo endereço basta repetir o procedimento. O serviço é gratuito.

5. Alteração nas atividades da rede escolar

 Aquecedor em sala de aula em Campo Belo do Sul | Foto: Daiane Marcos/ SED

As crianças são um grupo vulnerável em dias de temperaturas negativas. Por isso, em alguns momentos, a rede estadual de educação opta por suspender as aulas. Isso ocorre em casos extremos. Este ano, as atividades nas escolas de Bom Jardim da Serra chegaram a ser canceladas na forte onda de frio no começo de julho. A Secretaria do Estado de Educação avalia a necessidade da medida seguindo alerta da Defesa Civil de Santa Catarina.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.