TJ nega habeas corpus e mãe de bebê morto em Capinzal permanece presa preventivamente

Capinzal – O Tribunal de Justiça negou nesta quinta-feira (20) habeas corpus em favor de Vanessa Rodrigues da Silva, 22 anos, acusada de envolvimento na morte do filho Bryan Hemanuel Toldo, de dois meses. O TJSC já havia rejeitado liminar ao pedido. Em contato com reportagem a defesa da ré informou que irá analisar na próxima semana junto a familiares se recorrerá da decisão.

O recurso está em segredo de justiça. A defesa informou que, sinteticamente, a decisão do TJSC de indeferir o habeas corpus foi fundamentada na necessidade da medida cautelar e para correta instrução criminal na comarca de Capinzal.

A ré está detida preventivamente no presídio regional de Joaçaba juntamente com o pai da criança, Aislan Ribeiro Toldo, 21 anos. Bryan foi morto no dia 26 de março no loteamento Parizotto em Capinzal. A defesa da ré alega que os indícios estariam apontando somente para Aislan como possível autor das agressões que resultaram na morte do filho.

Nesta quarta­-feira (19) o juiz Daniel Radünz aceitou a denúncia apresentada pelo Ministério Público contra o casal. A denúncia protocolada no início da semana pela promotora Karla Bárdio Meirelles por homicídio incluindo as qualificadoras “motivo fútil, meio cruel e recurso que impossibilitou a defesa da vítima”.

Para o MP, Aislan seria o agressor do bebê e Vanessa teria se omitido no dever de agir para evitar o resultado. Agora, os acusados terão prazo de 10 dias para apresentarem a defesa escrita. Ambos seguem recolhidos no Presídio Regional de Joaçaba à disposição da Justiça. A Promotoria Pública requereu que após a instrução criminal o casal seja pronunciado para ir a julgamento popular.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.