Home Notícias Política Laudo confirma novos casos de gripe aviária em aves silvestres no RS

Laudo confirma novos casos de gripe aviária em aves silvestres no RS

0
Laudo confirma novos casos de gripe aviária em aves silvestres no RS
Enfermidade mobiliza Serviço Veterinário Oficial do Estado | Foto: SEAPI

O sexto foco de gripe aviária no Rio Grande do Sul foi confirmado pela Secretaria da Agricultura, Pecuária, Produção Sustentável e Irrigação (Seapi). A detecção de Influenza Aviária de Alta Patogenicidade (H5N1) em duas aves silvestres da espécie caraúna (Plegadis chihi), também conhecida por maçarico, em um açude no município de Rio Pardo ocorreu no domingo. Os outros casos registrados no território gaúcho envolveram aves silvestres e mamíferos aquáticos (leões-marinhos e lobos-marinhos). As informações são do Correio do Povo.

O Serviço Veterinário Oficial atendeu a notificação e encaminhou a amostra na sexta-feira (8) para o Laboratório Federal de Defesa Agropecuária de Campinas (LFDA-SP), unidade referência da Organização Mundial da Saúde Animal (OMSA). Conforme a diretora do Departamento de Vigilância e Defesa Sanitária Animal da Seapi, Rosane Collares, uma reunião técnica com o Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa) e a Superintendência de Agricultura e Pecuária do Estado foi realizada neste domingo para nivelar informações e definir a estratégia de atuação a partir desta segunda-feira.

“As equipes da Secretaria da Agricultura atuarão na vigilância ativa, monitorando inicialmente o raio de cinco quilômetros a partir do foco, a fim de evitar uma possível disseminação da doença e levar orientação aos criadores para manterem cuidados de biossegurança em suas propriedades, especialmente evitando a circulação de aves e, na medida do possível, impedindo ambientes de convívio entre aves silvestres e domésticas”, disse Rosane.

Notificação de casos

A influenza aviária, também conhecida como gripe aviária, é uma doença viral altamente contagiosa que afeta, principalmente, aves, mas também pode infectar mamíferos, cães, gatos, outros animais e humanos. A recente notificação não afeta o status sanitário do RS e não impacta o comércio de produtos avícolas, pois não há risco no consumo de carne e ovos – a doença não é transmitida pelo consumo.

As suspeitas de influenza aviária, que incluem sinais respiratórios, neurológicos ou mortalidade alta e súbita em animais, devem ser notificadas imediatamente à Seapi por meio da Inspetoria de Defesa Agropecuária do município, do Whatsapp (51) 98445-2033 ou do e-mail notifica@agricultura.rs.gov.br.

Recomendações aos produtores

  • Reforço das medidas preventivas nos estabelecimentos avícolas.
  • Revisar as telas, passarinheiras, portões e cumeeiras dos galpões.
  • Proteger fontes, caixas d’água e silos de ração do contato com aves de vida livre.
  • Desinfecção de veículos na entrada e saída (atenção para a correta diluição, conforme recomendação na bula).
  • Trocar roupas e calçados para ingressar na unidade produtiva.
  • Não permitir a entrada de pessoas alheias ao processo produtivo nas granjas.
  • Criações de aves com acesso a piquetes ou pátios: recomenda-se o fechamento das aves em galpões ou galinheiros e a proteção de bebedouros e comedouros para que seja evitado o contato com aves de vida livre.
  • Comunicar imediatamente a Inspetoria de Defesa Agropecuária (IDA) em caso de ocorrência de alta mortalidade (maior ou igual a 10% em 72 horas) ou da identificação de aves com sinais respiratórios, neurológicos ou digestórios.

Orientações à população

  • Não manipular nem recolher aves mortas ou moribundas.
  • Adquirir aves somente em casas agropecuárias devidamente autorizadas.
  • Comunicar imediatamente o Serviço Veterinário Oficial sobre a ocorrência de aves com sinais respiratórios, neurológicos, digestórios ou alta mortalidade, inclusive em aves silvestres.