Home Blog Page 2

Caminhão carregado com suínos tomba na SC-283

0

Um caminhão carregado com suínos tombou na SC-283 entre Concórdia e Seara, próximo ao acesso para o distrito de Nova Estrela, Arabutã. Conforme informações da Polícia Rodoviária Estadual (PRE) o fato ocorreu por volta das 07h30 desta segunda-feira (27).

O motorista, um homem de 45 anos, não sofreu ferimentos. No momento da chegada da PRE, o responsável pela carga e o proprietário do veículo já haviam providenciado a remoção do caminhão e a transferência da carga.

O caminhão transportava 76 suínos, dos quais inicialmente foram identificados três mortos e entre cinco a 10 feridos.

Estuprador recém-saído da prisão ataca mulher em parque e acaba preso em SC

0

Um homem foi preso em Rio do Sul, no Alto Vale, após perseguir e atacar uma mulher enquanto ela passava por um parque da cidade. A mulher conseguiu se desvencilhar do estuprador e chamou a polícia. Ele já cumpria pena e teria passagens por ao menos três crimes de cunho sexual.

Segundo informações da Polícia Militar, o incidente ocorreu na manhã de domingo (26). A vítima foi encontrada com as roupas sujas de lama e, visivelmente nervosa, relatou que estava caminhando quando notou que o agressor a seguia a pé.

Ao passar pelo Parque Municipal Harry Hobus, o homem a agarrou e a arrastou para o mato. A pedestre contou que gritou, mesmo sendo ameaçada de morte. Depois de uma luta, conseguiu correr e chamar a PM.

As características do suspeito foram repassadas e rondas foram feitas junto com guardas municipais, que encontraram o homem. Ele chegou a mentir sobre a própria identidade, mas a polícia descobriu o nome correto e constatou que ele estava cumprindo pena de prisão em albergue (sem recolhimento) desde o último dia 15, quando deixou o presídio de Curitibanos.

Ele havia sido indiciado por estupro e importunação em Ituporanga e tinha passagem também por outro caso de importunação sexual em Pouso Redondo. Foi preso novamente no domingo e levado para a delegacia. (NSC)

Dorini recebe representantes do “Movimento Rio Capinzal” para discutir medidas contra enxurradas

0

Na última semana, o Prefeito Nilvo Dorini, juntamente com a Engenheira Civil Naiara Maria Facin e a Assessora Jurídica Bruna Toti da Silva, recebeu na sala de reuniões da prefeitura representantes do “Movimento Rio Capinzal”.

O grupo é composto por proprietários, lindeiros ao Rio Capinzal, comerciantes, locatários e membros da população em geral, e está ativo desde 2010.

Os representantes apresentaram manifestação com relação à situação atual do Rio Capinzal, destacando o acúmulo de água das partes superiores da cidade e as enxurradas intensas que deságuam no rio.

Dorini se comprometeu a analisar as solicitações formalizadas pelo grupo e a mobilizar as equipes para estudar as possíveis soluções técnicas para resolução da problemática causada pelas enxurradas.

Previsão do tempo para esta terça-feira (28) em Santa Catarina

0

Agro do RS estima que demorará 10 anos para recuperar produções inundadas

0

O agronegócio gaúcho pode ter perdido cerca de R$ 3 bilhões em decorrência das enchentes que assolam o estado, e deve levar ao menos uma década para a normalização do cenário, segundo estimativas da Federação da Agricultura do Rio Grande do Sul (Farsul) divulgadas nesta segunda-feira (27).

A Farsul realizou um levantamento com apoio do projeto S.O.S Agro RS, que representa 2.025 produtores do estado.

De acordo com o economista-chefe da Farsul, Antônio da Luz, o cálculo é baseado na área de produção inundada.

Da Luz reforça que a estimativa ainda é preliminar, pois não considera as potenciais perdas em áreas não inundadas — que não estão sendo colhidas — e da produção que já foi colhida.

Segundo o levantamento, 347 produtores informaram prejuízos, totalizando pouco mais de R$ 467,6 milhões — média de R$ 1,4 milhão por ocorrência.

Ao todo, 550 agricultores responderam o levantamento. Muitos ainda não foram entrevistados, pois não tem acesso à produção para fazer as estimativas.

Dentre os respondentes, cerca de 73% são pequenos produtores. Desses, 63,4% integram o Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Pronampe), enquanto os demais são agricultores familiares.

Em coletiva de imprensa para divulgar os resultados, o presidente da Farsul, Gedeão Pereira, comentou que o agronegócio já chegou fragilizado nessa safra por conta de secas que afetaram o último ciclo de produção.

“Dentro de uma situação de calamidade, o Rio Grande do Sul precisa de uma situação de solução excepcional por parte do ente federal”, cobrou Pereira.

O presidente da Farsul diz que há grande expectativa com a vinda da operação itinerante do Ministério da Agricultura no estado.

O ministro da Agricultura, Carlos Fávaro, deve ir ao estado nesta terça-feira (28). Pereira espera que sejam anunciadas medidas para minimizar os impactos no agro.

Dentre as demandas da Farsul está uma nova linha de crédito para que os produtores possam sanar suas dívidas que vencem este ano. A proposta da entidade é uma linha de crédito com prazo de 15 anos, dois anos de carência e amortização de 3%.

O levantamento do S.O.S Agro RS aponta que 96,5% dos produtores vão precisar de crédito para garantir a normalização dos trabalhos.

Retomada

O cenário no curto prazo também aponta dificuldades. Segundo o levantamento, 60,4% dos produtores estão preocupados com a sobrevivência dos seus negócios nos próximos dois meses, enquanto outros 19% reconhecem que vão ter uma redução no desempenho.

De acordo com Graziele de Camargo, produtora e liderança do S.O.S Agro RS, os produtores vão precisar de, no mínimo, 10 anos para se recuperar completamente das perdas.

Na conta, ela coloca as perdas de colheita, maquinário, infraestrutura e o solo que foi danificado.

“As demandas são para termos um fôlego a mais para poder se restabelecer”, disse Camargo.

Linha de crédito para pequenos produtores

O governo federal abriu uma linha de crédito especial de R$ 600 milhões para o Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf).

Voltada a famílias agricultoras, a medida permite que o pagamento seja realizado em até 120 meses, com desconto de 30% e três anos de carência.

O ministro do Desenvolvimento Agrário e Agricultura Familiar, Paulo Teixeira, estima que cerca de 140 mil produtores foram duramente afetados pelas chuvas no estado.

Importação de arroz

Nesta segunda-feira (27), o governo ampliou o montante destinado à compra de arroz no exterior para R$ 7,2 bilhões. A medida visa garantir o abastecimento do alimento, tendo em vista que o RS é responsável por 70% da produção nacional.

Na coletiva, a Farsul voltou a criticar a medida. Anteriormente, Gedeão Pereira já havia chamado a ação de “desnecessária”à CNN.

A avaliação dele é que seria possível atender a demanda sem uma MP de importação, uma vez que maior parte da colheita do estado está preservada e o fato de que os demais 30% da produção nacional estão majoritariamente em regiões não atingidas pelo desastre climático.

Nesta segunda, Pereira disse que o governo teria passado por cima da Federação ao liberar a compra. Sua crítica foi endossada pelo economista Antônio da Luz, que avalia uma má distribuição de recursos.

O novo valor liberado pelo governo, de R$ 6,7 bilhões, seria mais do que o dobro necessário para cobrir o prejuízo do agro gaúcho, apontou da Luz.

Pereira diz que a medida vai afetar a participação do agro nacional na próxima safra e dificultar a recuperação dos produtores gaúchos. (CNN)

Comunidades da Serra Catarinense mobilizadas para implementação do Protótipo Alpha PMSC Ordem Pública 5.0

0

Nesta segunda-feira (27), inicia uma nova etapa Protótipo Alpha PMSC Ordem Pública 5.0. Entre os dias 27 e 29 de maio, os municípios de Urubici, São Joaquim, Curitibanos e Bom Jardim da Serra, participam da apresentação da Análise Situacional, onde serão apresentados os primeiros dados coletados a partir das entrevistas já realizadas.  Em Lages, a aplicação do questionário segue nesta semana.

Com a fase de entrevistas e captação de dados que irão subsidiar a elaboração do Protótipo Alpha PMSC Ordem Pública 5.0 na mesorregião serrana quase finalizada, chega o momento de apresentar a análise situacional para as comunidades de cada município.

A agenda inicia em Urubici, dia 27, às 13h30, na Câmara de Vereadores do município. No dia 28, é a vez de São Joaquim, às 13h30, na Casa da Cultura e Curitibanos, às 19 horas, na Câmara de Vereadores da cidade. No dia 29 a reunião ocorre às 14h30, na Câmara de Vereadores de Bom Jardim da Serra. Em Lages, as entrevistas ainda seguem nesta e na próxima semana.

O projeto, uma iniciativa da Polícia Militar de Santa Catarina (PMSC), em parceria com a Federação das Associações Empresariais de Santa Catarina (FACISC), que utiliza a metodologia DEL, tem o objetivo de implementar um modelo de gestão voltada à redução da desordem e da violência de maneira articulada com o desenvolvimento sustentável em municípios catarinenses.

Por meio de indicadores estabelecidos a partir da econometria, o Protótipo Alpha PMSC Ordem Pública 5.0 visa aprimorar as políticas públicas, tornando-as mais eficientes e direcionadas para as necessidades específicas de cada região.

A consultora da FACISC, Aline Nandi, destaca que, após a apresentação dos dados e a conclusão das entrevistas, as informações serão disponibilizadas às instituições, órgãos parceiros e à população interessada, para garantir amplo acesso ao panorama de cada município. “Em junho, organizaremos reuniões com comitês locais de operacionalização e criaremos câmaras técnicas. Essas câmaras serão compostas por voluntários das comunidades, especializados nos temas trabalhados nos eixos do projeto, que passarão a atuar, a partir de julho, em cada município, com o objetivo de contribuir para o desenvolvimento de políticas públicas efetivas voltadas à redução da desordem e da violência,” explica ela.

Importante destacar que, os municípios de Bom Jardim da Serra, Curitibanos, Lages, São Joaquim e Urubici estão participando da implementação inicial do Protótipo Alpha PMSC Ordem Pública 5.0, com base em uma série de indicadores estabelecidos através da econometria e da atuação na base territorial. A comunidade local desempenha um papel crucial no processo de escolha e implementação do estudo. Durante esta primeira fase, estão sendo realizadas entrevistas com autoridades locais e membros da comunidade para coletar informações valiosas que ajudarão a moldar as estratégias do projeto.

O coordenador do Protótipo Alpha Ordem Pública 5.0, tenente-coronel da PMSC Frederick Rambusch, explica que a compreensão multifacetada do projeto quanto às variadas percepções da sociedade relacionada com a desordem e a violência é extremamente importante para direcionar os esforços da polícia, dos municípios, instituições e sociedade em geral, com relação a diminuição da violência. “A metodologia que está sendo utilizada, baseada em atuação local, indicadores e análises sistêmicas, tende a dimensionar melhor os problemas relacionados à ordem pública e deflagrar processos assertivos sobre as causas da violência e da desordem”.

Após o processo de entrevistas, uma série de percepção locais serão gerados, além de indicadores já mapeados, ajudando a identificar as necessidades específicas de cada região e a aprimorar as políticas públicas, tornando-as mais eficazes e adaptadas às realidades locais. A seleção desses municípios considerou uma série de fatores socioeconômicos e de segurança, visando maximizar o impacto do programa e fornecer soluções eficazes para os desafios complexos da segurança pública.

O Protótipo Alpha PMSC Ordem Pública 5.0 representa um passo importante na busca pela redução da violência e no fortalecimento das comunidades catarinenses. Com uma abordagem inovadora e colaborativa, o projeto visa não apenas identificar os problemas ao analisar indicadores socioeconômicos dos setores de educação, saúde, assistência social, economia, infraestrutura, além da segurança pública, mas também implementar soluções eficazes, contando com a participação ativa de todos os envolvidos.

Agenda de apresentação da Análise Situacional do Protótipo Alpha PMSC Ordem Pública 5.0

Urubici

Data: 27/05/2024

Horário: 13h30

Local: Câmara de Vereadores de Urubici

Curitibanos 

Data: 28/05/2024

Horário: 19 horas

Local: Câmara de Vereadores de Curitibanos

São Joaquim

Data: 28/05/2024

Horário: 13h30

Local: Casa da Cultura

Bom Jardim da Serra 

Data: 29/05/2024

Horário: 14h30

Local: Câmara de Vereadores de Bom Jardim da Serra

Texto por Comunicação Protótipo Alpha

Legenda foto: Ana Paula Ribeiro, especialista e agente territorial do projeto em Lages

Após ser pego no flagra, homem furta veículo da amante para fugir da namorada no meio-oeste

0

Caçador – Um homem de 50 anos foi preso em Caçador, no meio-oeste catarinense, sob suspeita de furtar o veículo da amante. O crime aconteceu na última sexta-feira (24).

A Polícia Militar foi acionada pela dona do veículo, amante do homem, que relatou que o suspeito havia levado o veículo sem autorização após ser flagrado por sua namorada. Além do veículo, uma Fiat Strada, o homem também levou R$ 150 que estavam dentro do veículo.

As autoridades realizaram buscas e localizaram o carro em frente a um bar no bairro Bom Sucesso. O suspeito foi abordado no local e preso em flagrante.

SC: massa de ar frio derruba as temperaturas e terça-feira deve ter mínimas negativas na Serra

0

De acordo com o departamento de monitoramento meteorológico da Secretaria de Estado da Proteção e Defesa Civil (SDC), a terça-feira, 28, deve ser um dos dias mais frios do ano em Santa Catarina. O avanço de uma massa de ar frio provoca um declínio acentuado nos termômetros. Entre o Grande Oeste e os planaltos, as temperaturas devem oscilar entre 3°C e 7°C, na manhã desta terça, sendo que nos pontos mais altos da Serra, ficarão negativas.

Durante todo o dia, os ventos causados por um ciclone extratropical em alto mar deixam a sensação térmica ainda mais baixa, intensificando a sensação de frio. O frio intenso persiste ao longo da semana, até pelo menos quinta-feira, 30, especialmente nas primeiras horas do dia.

Mar grosso, risco de ressaca e fortes rajadas de vento

O processo de formação de um ciclone no mar que iniciou nesta segunda-feira, 27, e persiste nesta terça-feira, 28, entre a costa de Santa Catarina e do Rio Grande do Sul, favorece a agitação marítima entre o Litoral Sul e a Grande Florianópolis, com ondas de sul podendo atingir entre 2,0m e 2,5m.

Entre a terça-feira, 28, e a quarta-feira, 29, com o ciclone já estabelecido em alto mar, a agitação marítima aumenta ainda mais, trazendo condições para mar grosso e ressaca no Litoral Sul, com ondas de sul/sudoeste entre 3,5m e 4,0m próximo à costa.

Na Grande Florianópolis o mar fica muito agitado e são esperadas ondas de sul/sudoeste entre 2,5m e 3,5m. Nestas regiões, em alto mar e em áreas costeiras, também são esperadas fortes rajadas de vento entre 50 km/h e 70 km/h. O risco é alto nas áreas em laranja e moderado nas áreas em amarelo para atividades de navegação, pesca, esportes náuticos e erosão costeira.

Por conta da agitação marítima, a Secretaria de Estado da Proteção e Defesa Civil recomenda que a população evite atividades de navegação, pesca, esportes marítimos e banho de mar. As medidas visam garantir a segurança de todos, uma vez que as condições do mar podem apresentar riscos à vida.

Recomendações para a população

  • Evite áreas sujeitas a alagamentos e evite atravessar pontes e pontilhões submersos;
  • Em caso de temporais evite atividades ao ar livre, buscando abrigo em locais seguros;
  • Em caso de frio intenso, redobre a atenção com a população vulnerável e animais;
  • Procure se agasalhar e beber bastante água.

Avisos e Alertas da SDC

A Secretaria de Estado da Proteção e Defesa Civil de Santa Catarina reitera a necessidade de acompanhar diariamente os avisos e boletins devido às constantes atualizações nos modelos de previsão do tempo.

Para receber os avisos e alertas da Secretaria de Estado da Proteção e Defesa Civil de Santa Catarina por SMS, cadastre-se com seu celular. Basta enviar o CEP de sua cidade ou da localidade que deseja monitorar (com ou sem hífen ou espaço) por SMS para o número 40199.

Para inserir mais de um CEP a ser monitorado, basta repetir o procedimento. Além disso, acompanhe diariamente os avisos e boletins de previsão do tempo devido às atualizações nos modelos meteorológicos no site www.defesacivil.sc.gov.br

Mais de 600 apenados são mobilizados em ações de auxílio à população atingida pelas enchentes no RS

0

Desde o início de maio, a Polícia Penal, vinculada à Secretaria de Sistemas Penal e Socioeducativo (SSPS), tem disponibilizado a mão de obra de pessoas privadas de liberdade para prestar auxílio à população atingida pelas enchentes no Rio Grande do Sul. Até o momento, mais de 600 apenados, de 47 estabelecimentos prisionais, foram mobilizados para limpeza das cidades e fabricação de itens como camas, rodos, berços e casas para cães, entre outras atividades.

De acordo com o secretário de Sistemas Penal e Socioeducativo, Luiz Henrique Viana, as ações irão durar o tempo que for necessário para a reconstrução do Estado. “Assim como ocorreu nas cheias do ano passado, a Polícia Penal, por meio dos seus servidores e apenados, está focada em auxiliar nas demandas que surgirem, atuando em prol das comunidades e com foco no suporte aos atingidos”, pontuou.

Devido à grande quantidade de doações recebidas no Estado, uma das frentes de trabalho dos apenados é na limpeza e no suporte ao descarregamento, à triagem, à organização e à distribuição de donativos, quando necessário. Esse tipo de atividade, coordenada por servidores penitenciários, conta com o apoio de pessoas privadas de liberdade dos institutos penais de Montenegro, Canoas, Miguel Dario e Patronato Lima Drummond; das penitenciárias de Venâncio Aires e Guaíba; e dos presídios de Santa Cruz do Sul, Lajeado, Arroio do Meio, Encantado, Sobradinho e Candelária.

Outra forma de auxílio é na limpeza na limpeza de ruas e prédios públicos de cidades. Taquara, Igrejinha, Parobé, Canoas, Nova Prata, São Francisco de Paula, Três Coroas, Santa Cruz do Sul, Lajeado, Arroio do Meio, Encantado, Sobradinho e Candelária têm recebido o suporte de apenados.

Além disso, 20 pessoas privadas de liberdade estão trabalhando, através de termos de cooperação com a SSPS, na limpeza das sedes administrativas da Polícia Penal, da 10ª Delegacia Penitenciária Regional e do Grupo de Ações Especiais, todas localizadas em Porto Alegre e atingidas pela enchente, além do Centro Administrativo de Contingência, onde estão funcionando, temporariamente, as secretarias estaduais. Outras pessoas, que cumprem pena no Instituto Miguel Dario, no Patronato Lima Drummond e nas penitenciárias de Sapucaia do Sul e Arroio dos Ratos também atuam nesses locais.

Um dos itens mais demandados para a retirada do lodo dos espaços inundados é o rodo de madeira, ferramenta que facilita a limpeza de locais com grande concentração de lama. Atualmente, 11 estabelecimentos prisionais estão produzindo os rodos. Até o momento, 1,4 mil unidades já foram montadas por apenados.

Suporte à população em abrigos

Com o objetivo de proporcionar maior conforto e bem-estar às pessoas que estão em abrigos, apenados dos presídios de Iraí e Canela iniciaram a produção de camas de madeira. A meta é chegar a 235. Parte delas já foi entregue a municípios atingidos. Em Canela, há ainda a confecção de berços para bebês. Inicialmente, 20 unidades serão fabricadas. Além disso, no Presídio de Jaguarão, sete mil fraldas foram produzidas para serem doadas em Pelotas, Jaguarão, Canoas, Arroio do Meio e Rio Grande.

O cuidado com os animais atingidos pelas enchentes também é um dos focos do trabalho realizado por pessoas privadas de liberdade. Nas penitenciárias de Canoas I, Ijuí, Osório e Caxias do Sul e nos presídios de Sarandi e Arroio do Meio, ocorre a produção de casinhas para cães, que são doadas a abrigos. Até o momento, 122 unidades foram construídas.

Além disso, em Osório, os apenados produzem caminhas para os animais com o tecido de roupas doadas que não estão em condições de uso. Os 50 itens confeccionados foram destinados a abrigos em Tramandaí e Porto Alegre. Na Penitenciária Estadual de Porto Alegre, também há pessoas privadas de liberdade produzindo camas e roupas para pets que serão entregues a desabrigados. A previsão é que mais 50 unidades sejam doadas.

O Presídio Regional de Pelotas e a Penitenciária de Rio Grande estão fabricando roupas de cama, e os presos da 2ª Região Penitenciária atuam na costura de roupas para os desabrigados, em parceria com o curso de Moda da Universidade Franciscana, em Santa Maria. Apenados da 3ª Região Penitenciária também trabalham na produção de cobertores feitos de retalhos de roupas.

Com o apoio de doações da comunidade, houve também a produção de sete mil bolachas caseiras no Presídio de Lagoa Vermelha, que foram distribuídas às pessoas abrigadas no Ginásio Municipal e aos voluntários de Muçum em 16 de maio. Na Penitenciária Modulada de Osório, foi  realizada a produção de 500 pães e 200 fatias de bolo para distribuição a pessoas que estão abrigadas em Tramandaí.

Ajuda a comunidades e instituições

Desde 11 de maio, a Penitenciária Estadual de Bento Gonçalves tem prestado serviços de lavanderia e higienização de roupas de cama e vestuário do Hospital de Roca Sales, quando necessário.

Para dar suporte às mães que perderam os enxovais na enchente, o Presídio de Júlio de Castilhos confeccionou e doou 22 bolsas e 22 necessaires para kits de maternidade da Associação dos Amigos do Hospital Universitário de Santa Maria.

“Temos diversas frentes de atuação, seja com os nossos servidores atuando no resgate de vítimas e no transporte de donativos, seja com a participação da mão de obra prisional na limpeza, na manutenção e na produção de itens que vão auxiliar as pessoas atingidas a enfrentar este momento tão doloroso”, afirmou o superintendente dos Serviços Penitenciários, Mateus Schwartz.

A Polícia Penal permanece mobilizada e atenta às demandas da população e dos municípios para prestar apoio nas atividades que podem ser realizadas com mão de obra de pessoas privadas de liberdade durante o período de recuperação do Rio Grande do Sul.

Purificadores de água doados pelo Japão chegam ao RS

0

Os 75 purificadores de água doados ao Rio Grande do Sul pelo governo do Japão chegaram à Base Aérea de Canoas no último sábado (25). Os equipamentos vão suprir as necessidades nas áreas mais afetadas pelas enchentes, especialmente hospitais e instituições de saúde que atendam pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

Os purificadores foram transportados, a partir de Brasília, em uma aeronave da Força Aérea Brasileira.

A primeira escala dos equipamentos foi na quarta-feira (22), em Brasília, onde chegaram em avião comercial proveniente de Miami (EUA). Os itens foram recebidos pelo secretário-executivo do Escritório de Representação do RS (EBSB), Henrique Pires, e pelo representante sênior da Agência de Cooperação Internacional do Japão (Jica), Issei Aoki.

Pedido formal do governador Eduardo Leite, a doação foi negociada por Pires com o embaixador do Japão no Brasil, Teiji Hayashi, e o representante da Jica. Cada unidade tem capacidade de filtrar 4 litros de água por minuto.

Como lembrou Pires, os desabrigados e desalojados das enchentes vão começar a voltar para suas casas em comunidades onde os mananciais de água estão comprometidos e, em alguns casos, contaminados por lama e detritos. Assim, os purificadores serão fundamentais para garantir o abastecimento emergencial dessas pessoas e, principalmente, o funcionamento de hospitais e postos de saúde.