Home Blog Page 3

Suspeito de matar servidor público dentro de cemitério em Brunópolis é denunciado pelo MPSC

0

O Ministério Público de Santa Catarina (MPSC) denunciou o suspeito de matar um servidor público de Brunópolis. O objetivo é que ele seja julgado e condenado pelo Tribunal do Júri da Comarca de Campos Novos por homicídio com duas qualificadoras. A denúncia já foi recebida e o homem de 29 anos se tornou réu em uma ação penal. Ele está preso preventivamente aguardando o desenrolar do processo.

O crime ocorreu no dia 1º de abril deste ano, por volta das 14h45, no cemitério da localidade de Marombas. De acordo com as investigações, o suspeito foi até o local, onde a vítima de 47 anos trabalhava na construção de um jazigo, e disparou pelo menos cinco vezes contra ela. Segundo o laudo cadavérico, a morte foi causada por traumatismo encefálico e os tiros atingiram várias partes do corpo da vítima, como a cabeça, o tórax, o braço direito e as pernas.

As qualificadoras citadas na denúncia são o motivo torpe, pois o crime teria sido cometido por vingança devido a desentendimentos ocorridos semanas antes; e o recurso que dificultou a defesa da vítima, pois o réu teria chegado de surpresa ao cemitério com arma em punho e feito os disparos repentinamente, perseguindo o servidor público por vários metros sem que ele pudesse oferecer resistência.

O fato chocou o pequeno município de cerca de 2.500 moradores, que espera por justiça. O Promotor de Justiça da 2ª Promotoria da Comarca de Campos Novos, Alexandre Penzo Betti Neto, que atua na área criminal, diz que, no que depender do Ministério Público, esse crime não ficará impune. “Assim que instruído o processo em juízo, se for o caso, haverá pedido de pronúncia do acusado para que a própria sociedade possa dar o veredito em sessão do Tribunal do Júri”, declarou.

Prazo para entregar declaração do Imposto de Renda termina dia 31

0

O prazo para entregar a declaração do Imposto de Renda acaba nesta sexta-feira (31). Para aqueles que enviarem a prestação de contas com atraso, haverá cobrança de multa, que pode variar de R$ 165,74 até 20% do imposto devido, mais juros de mora.

Estão isentos de pagar imposto 15,8 milhões de brasileiros que recebem até dois salários mínimos (R$ 2.284). Entram nessa faixa empregados, autônomos, aposentados, pensionistas e outras pessoas físicas.

O Ministério da Fazenda informou que o contribuinte com rendimentos de até R$ 2.824 mensais está isento porque, dessa renda, é subtraído o desconto simplificado, de R$ 564,80, resultando em uma base de cálculo mensal de R$ 2.259,20. Esse é o valor máximo da faixa de alíquota zero da nova tabela.

Como declarar o Imposto de Renda?

Para enviar a declaração, é possível baixar o programa da Receita Federal, já disponível no site, e preencher as informações pessoais, bem como os dados de rendimentos, deduções e despesas médicas e de educação. Caso o contribuinte já tenha uma conta Gov prata ou ouro, é possível utilizar a declaração pré-preenchida, minimizando erros. Há, ainda, a opção de fazer a declaração online.

Após o preenchimento completo da declaração, é preciso escolher a forma de desconto: completa ou simplificada. Quando o valor calculado de imposto a pagar for menor do que o imposto que já foi pago, o contribuinte terá direito à restituição. Neste caso, é preciso indicar uma conta bancária ou a chave Pix (CPF) para receber o pagamento.

Quem precisa declarar o Imposto de Renda?

  • Quem recebeu rendimentos tributáveis, sujeitos ao ajuste na declaração, cuja soma foi superior a R$ 30.639,90;
  • Recebeu rendimentos isentos, não tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte, cuja soma foi superior R$ 200 mil no ano passado
  • Quem obteve, em qualquer mês de 2023, ganho de capital na alienação de bens ou direitos, sujeito à incidência do imposto, ou realizou operações em bolsas de valores, de mercadorias, de futuros e assemelhadas cuja soma foi superior a R$ 40 mil, ou com apuração de ganhos líquidos sujeitos à incidência do imposto;
  • Quem teve isenção de imposto sobre o ganho de capital na venda de imóveis residenciais, seguido de aquisição de outro imóvel residencial no prazo de 180 dias;
  • Quem teve, em 2023, receita bruta em valor superior a R$ R$ 153.199,50 em atividade rural (contra R$ R$ 142.798,50 em 2022);
  • Aqueles que tinham, até 31 de dezembro de 2023, a posse ou a propriedade de bens ou direitos, inclusive terra nua, de valor total superior a R$ 800 mil (contra R$ 300 mil em 2022); quem passou para a condição de residente no Brasil em qualquer mês e se encontrava nessa condição até 31 de dezembro de 2023;
  • Quem optou por declarar os bens, direitos e obrigações detidos pela entidade controlada, direta ou indireta, no exterior como se fossem detidos diretamente pela pessoa física;
  • É titular de trust no exterior;
  • Deseja atualizar bens no exterior.

Datas da restituição do IR

Assim como nos anos anteriores, as restituições do IR – valor devolvido pela Receita Federal ao contribuinte que pagou mais tributos do que precisava ao longo do ano-base – neste caso, 2023- serão pagas em cinco lotes:

1º lote: 31 de maio

2º lote: 28 de junho

3º lote: 31 de julho

4º lote: 30 de agosto

5º lote: 30 de setembro

 

Caixa propõe auxílio-creche de R$ 4,5 mil para executivos do banco

0

Benefício seria destinado a filhos de diretores da instituição, cujos salários são superiores a R$ 70 mil mensais
A liderança da Caixa Econômica Federal, comandada pelo centrão, tentou estabelecer um auxílio-creche de R$ 4.500 para crianças de até três anos filhas de executivos de alto escalão do banco, que recebem salários acima de R$ 70 mil por mês. A informação foi divulgada pela colunista do Uol, Andreza Matais.

A aprovação da decisão pelo conselho de administração e sua comunicação interna ocorreu no dia 18, de acordo com um documento que a reportagem conseguiu obter.

Arthur Lira (PP-AL) indicou Carlos Antônio Vieira, presidente da Caixa, após a demissão de Rita Serrano por Lula, sob pressão do progressista.

A proposta de auxílio-creche supera a média salarial dos brasileiros, que se situava em R$ 1.893 em 2023, de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Contudo, apenas R$ 630,42 foram autorizados pela Secretaria de Coordenação e Governança das Empresas Estatais (Sest).

O auxílio-creche de R$ 630,42, que já era conferido aos demais empregados do banco, agora também favorece 52 altos executivos, incluindo presidente, vice-presidentes e diretores, graças à sua criação na gestão atual.

O que diz a Caixa
Para o Uol, a Caixa declarou que “seis dirigentes do banco fazem jus ao auxílio-creche”. A assessoria, no entanto, se absteve de comentar sobre o valor aprovado que é seis vezes maior.

“Este benefício foi estabelecido em 2024 e tem o mesmo valor do auxílio concedido para os empregados do banco, bem como as regras para concessão. A concessão foi objeto de análise pela Sest e aprovada pela Assembleia Geral Ordinária da CAIXA”, disse.

Durante a mesma reunião, os altos executivos aprovaram um auxílio-alimentação mensal de R$ 1.969,10. Contudo, apenas R$ 1.542,55 foram autorizados pela Sest, em comparação com o valor anterior de R$ 948,15, que vinha sendo praticado desde 2016.

Em nota, a Caixa afirmou que “o valor [aprovado pela Sest] é menor que o estabelecido para os empregados, que é de R$ 1.896,86/mês.”

Este mês, os líderes da Caixa tiveram um aumento salarial de 4,62%. O salário mensal do presidente do banco aumentou para R$ 83,2 mil, incluindo benefícios, enquanto os vice-presidentes passaram a ganhar R$ 73,5 mil. A remuneração dos diretores é variável, dependendo da posição que ocupam. As informações são Revista Oeste

Gonet impõe sigilo sobre viagens pela PGR

0

O procurador-geral da República, Paulo Gonet, está sendo questionado por sua falta de transparência em relação a viagens de trabalho. Desde que assumiu o cargo, em dezembro do ano passado, Gonet tem se recusado a divulgar informações sobre o itinerário e o objetivo de suas viagens, deixando apenas o valor das passagens e diárias utilizadas disponíveis, revelou reportagem do Estadão.

Segundo registros no portal da transparência, Gonet justifica o sigilo com base na Lei de Acesso à Informação (LAI), sem especificar qual parágrafo autoriza essa prática. Em outros momentos, ele menciona uma portaria assinada pelo ex-procurador-geral Augusto Aras, que estabelece que os extratos de emissão das passagens devem conter apenas informações sobre as despesas mensais, por razões de segurança.

No entanto, a portaria assinada por Aras em 2022 não apresenta justificativas ou estudos técnicos sobre os supostos perigos que os membros do Ministério Público estariam sujeitos caso divulgassem seus deslocamentos e gastos com o trabalho. Além disso, não especifica quais membros e servidores da organização podem utilizar essa medida para ocultar informações.

Alegação questionável
A alegação de motivo de segurança para não divulgar os dados é questionável, uma vez que as informações só são divulgadas após a viagem, quando qualquer suposto risco já teria deixado de fazer sentido.

Nas ocasiões em que Gonet utiliza a LAI como justificativa, os gastos com passagens e diárias são classificados como informações reservadas no portal da transparência. No entanto, a lei define que apenas informações sensíveis que representam um risco à segurança da sociedade ou do Estado podem ser marcadas como ultrassecretas (25 anos de sigilo), secretas (15 anos de sigilo) ou reservadas (5 anos de sigilo).

Ao jornal paulistano, Marina Atoji, diretora de programas da Transparência Brasil, disse que essa é uma má utilização da Lei de Acesso à Informação para ocultar informações que são de claro interesse público e que não se enquadram nas categorias de sigilo previstas na própria lei. Ela ressalta que não há comprometimento da segurança do procurador-geral ou de qualquer outro procurador ao divulgar as informações após a realização das viagens.

Quanto Gonet já gastou?
Entre janeiro e abril deste ano, Gonet gastou R$ 46 mil com passagens e recebeu R$ 29 mil em diárias. No entanto, não é possível identificar para quais destinos foram essas viagens, já que o procurador-geral não divulga essas informações. Parte dessas despesas pode ter sido custeada por outra entidade, e não pela PGR.

Além de Gonet, vários membros do Ministério Público Federal (MPF) também utilizam essas medidas para ocultar os destinos e as motivações de suas viagens. Somente no mês de abril, pelo menos 115 deslocamentos foram classificados como informações reservadas, citando a portaria da gestão anterior.

A falta de transparência só foi revelada quando o secretário-geral do MPF, Eitel Santiago de Brito Pereira, devolveu R$ 1.163,20 em diárias referentes a uma viagem aos Estados Unidos. A devolução foi justificada pelo fato de que a hospedagem foi fornecida pelos organizadores do evento, o que não havia sido informado anteriormente.

Julgamento de Jorge Seif ficará para Cármen Lúcia

0

O julgamento que pode cassar o mandato do senador Jorge Seif (PL-SC) não entrou na pauta de votações do Tribunal Superior Eleitoral desta semana, a última do ministro Alexandre de Moraes como presidente da Corte Eleitoral.

O magistrado deixará o tribunal na próxima segunda-feira, 3, e será substituído como representante do STF pelo ministro André Mendonça. A presidência do TSE, no entanto, ficará com a ministra Cármen Lúcia.

Segundo o TSE, o processo de Seif ainda não foi liberado pelo relator, o ministro Floriano de Azevedo Marques, que paralisou o julgamento para a coleta de provas.

Ainda não há data definida para a conclusão do julgamento de Jorge Seif.

A acusação
Seif é acusado de ter sido beneficiado pela cessão de um helicóptero pelo empresário Osni Cipriani, da construção civil e pelo uso da estrutura material e pessoal da Havan, inclusive aviões, canais oficiais da empresa e sala de gravação de lives.

Ele foi inocentado da acusação de abuso de poder político por unanimidade pelo Tribunal Regional Eleitoral de Santa Catarina (TRE-SC), mas a coligação formada por Patriota, PSD e União Brasil recorreram ao TSE.

Jantar de Seif
Às vésperas de ser julgado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) por abuso de poder econômico, o senador Jorge Seif (PL-SC) foi flagrado participando de um convescote em homenagem à ex-ministra do TSE Maria Claudia Bucchianeri.

O evento ocorreu na noite de quarta-feira, 22, no restaurante Lake’s, no Lago Norte, em Brasília – região da alta sociedade local.

Participaram do evento personagens como o presidente do STF, Luís Roberto Barroso, o ministro do Supremo Dias Toffoli, as ministras do Tribunal Superior Eleitoral Maria Isabel Galotti, Edilene Lôbo e Vera Lúcia; o presidente da Câmara, Arthur Lira; além de deputados como Soraia Santos e ex-deputados federais como Mario Rosa e Margareth Coelho.

 

Tarcísio planeja investimentos bilionários que vão revoluvionar SP

0

O governador de São Paulo, Tarcísio de Freitas, está prestes a lançar um ambicioso plano de investimentos que promete transformar a infraestrutura de transporte do estado. Com um investimento projetado de R$ 130 bilhões, o programa “São Paulo nos Trilhos” abrange uma série de projetos que vão desde a expansão da rede metroferroviária até a introdução de novos trens intercidades, marcando um avanço significativo na mobilidade urbana e interurbana da região.

O lançamento oficial do programa ocorrerá na próxima quarta-feira, dia 29 de maio, quando Tarcísio assinará o contrato da parceria público-privada (PPP) para o Trem Intercidades (TIC), que conectará a capital paulista a Campinas. Este projeto, fruto de um leilão realizado no final de fevereiro, é apenas o começo de uma série de iniciativas que visam modernizar e ampliar a capacidade do sistema de transporte ferroviário no estado.

Entre os anúncios mais aguardados estão novas linhas de metrô, a construção de mais estações na rede existente, e a concessão de linhas da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM). Além disso, estão sendo realizados estudos para a implementação de outros trens de média velocidade que ligarão grandes cidades do estado, ampliando as opções de transporte para os paulistas.

Tarcísio de Freitas destaca a importância do plano para o futuro do transporte em São Paulo. “São passos muito significativos nas concessões e no desenvolvimento de novos projetos”, afirmou o governador. Um dos pontos mais inovadores do programa é a concessão à iniciativa privada de uma linha existente de metrô combinada com a construção de uma nova. Este modelo será testado pela primeira vez em 2025, com o leilão conjunto da Linha 1-Azul (a mais antiga de São Paulo) e da Linha 20-Rosa (que será construída do zero). A ideia é proporcionar geração de caixa imediata para a futura concessionária, com receitas de tarifas já existentes, facilitando a obtenção de financiamento junto a bancos. No entanto, haverá necessidade de aportes do estado, configurando uma PPP.

O plano prevê duas fases para a Linha 20-Rosa: primeiro o trecho Santo André-Saúde, seguido pelo trecho Saúde-Santa Marina, totalizando 24 estações e 31,1 km de extensão. Até o final de 2025, estão previstos os leilões de concessão (pura ou PPP) dos seguintes projetos: Linhas 11-Coral, 12-Safira e 13-Jade da CPTM, Linhas 10-Turquesa e 14-Ônix da CPTM, e o TIC São Paulo-Sorocaba. Além disso, serão anunciadas ampliações com recursos públicos nas linhas 4-Amarela e 5-Lilás do metrô, com duas novas estações em cada linha, conforme antecipado pela CNN em novembro do ano passado.

A maioria dos projetos incluídos no plano “São Paulo nos Trilhos” está prevista para ser concluída a partir de 2027. No entanto, o secretário estadual de Parcerias e Investimentos, Rafael Benini, explicou que o fim do mandato de Tarcísio em 2026 não impede o desenvolvimento dos estudos. “Da mesma forma que herdamos uma carteira de projetos da gestão anterior, queremos e precisamos deixar um portfólio para a próxima gestão, independentemente de quem seja o governador”, afirmou Benini. Tarcísio de Freitas pode tentar a reeleição, mas o objetivo é garantir a continuidade dos projetos independentemente do resultado eleitoral.

Além disso, Benini ressaltou que o plano oferece aos investidores um calendário previsível de leilões, permitindo que grupos nacionais e estrangeiros vejam essa carteira de infraestrutura como um todo, elaborem estratégias de médio prazo e foquem nos projetos mais adequados ao perfil de cada empresa.

Agricultores do RS dizem que o governo Lula inflacionou o arroz

0

Agricultores do Rio Grande do Sul acreditam que o governo Lula (PT) inflacionou o valor do arroz ao anunciar que importaria o alimento para evitar a falta dele e que zeraria a alíquota de importação. Ao site da revista Veja, um dos vice-presidentes da Federação da Agricultura gaúcha (Farsul), Domingos Velho, disse que, apesar do desastre climático, não havia a possibilidade de faltar arroz.

– Como é que podemos falar em desabastecimento em plena safra? Devemos produzir 7,2 milhões de toneladas no Rio Grande do Sul, exatamente o mesmo número do ano passado – disse.

Para Domingos Velho, a decisão do governo petista “vai desestimular o plantio da próxima safra” e que “quem vai ganhar são os atravessadores, que vão comprar arroz mais barato e não haverá queda do preço nas gôndolas”.

Já na opinião de Paulo Ricardo Dias, outro vice-presidente da Farsul, o anúncio foi precipitado e o governo federal “confundiu” e inflacionou o mercado ao levantar dúvidas sobre a colheita, anunciar a compra de arroz e ainda reduzir as tarifas.

– O anúncio foi precipitado, para não dizer incompetente. Não existe desabastecimento de arroz em lugar nenhum – apontou.

A Secretaria de Agricultura do Rio Grande do Sul, por sua vez, emitiu uma nota sobre o assunto e disse que a safra gaúcha do cereal “é suficiente para abastecer o mercado brasileiro”. Já o presidente do Instituto Rio Grandense do Arroz, Rodrigo Machado, reforçou que não haverá desabastecimento no país.

– Mesmo considerando as perdas, temos uma safra praticamente idêntica à anterior, o que nos leva a inferir que não haverá desabastecimento – completou.

Governo Lula triplica pedidos de investigação a críticos e opositores políticos à PF, informa relatório

0

De acordo com uma reportagem publicada pelo portal UOL, o governo de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) tem intensificado os pedidos de investigação à Polícia Federal (PF) contra críticos e opositores políticos.

Desde o início do terceiro mandato do presidente, houve um significativo aumento dessas ações. Entre janeiro de 2023 e abril de 2024, o Ministério da Justiça fez 159 solicitações de abertura de inquérito, resultando em uma média de 9,9 por mês. Em contraste, entre 2019 e 2022, foram registrados apenas 44 pedidos, com uma média de 0,9 por mês.

A maior parte dos pedidos ocorreu durante a gestão de Flávio Dino, que chefiou o Ministério da Justiça de janeiro de 2023 até janeiro de 2024, antes de sua nomeação ao Supremo Tribunal Federal (STF). Durante esse período, foram feitos 135 dos 159 pedidos totais. Desde fevereiro, sob a liderança de Ricardo Lewandowski, foram encaminhadas 24 solicitações.

As investigações de crimes contra a honra representam a maioria dos pedidos. Do total de 159 solicitações, 91 envolvem suspeitas de crimes contra a honra relacionados ao primeiro escalão do governo. Especificamente, 65 desses pedidos estão relacionados ao presidente Lula e à primeira-dama Janja da Silva, superando todas as solicitações feitas durante o governo Bolsonaro.

Embora a maior parte dos pedidos tenha sido feita durante a gestão de Dino, a média mensal de solicitações para investigar crimes contra Lula e Janja aumentou sob Lewandowski. Ele registrou 18 pedidos em três meses, resultando em uma média de seis por mês.

O crescente número de pedidos, particularmente sob a gestão Dino, tem levantado preocupações sobre a possível politização da Polícia Federal. A natureza dos pedidos, muitas vezes relacionados a crimes de calúnia e difamação, como no caso de um parlamentar que chamou Lula de “ex-presidiário, ladrão e corrupto”, tem alimentado os questionamentos.

Os pedidos de investigação desencadearam reações de políticos da oposição, que acusam o governo de “abuso de autoridade”. Um exemplo recente é o pedido de Paulo Pimenta, então ministro da Secom, para investigar fake news sobre as enchentes no Rio Grande do Sul, incluindo um post do deputado federal Eduardo Bolsonaro.

O Partido Novo chegou a apresentar uma queixa-crime na Procuradoria-Geral da República (PGR) contra Pimenta e Lewandowski por suposto abuso de autoridade, mas o procurador-geral, Paulo Gonet, não identificou crime e arquivou o pedido.

 

Prefeitura de Ouro fará ponto facultativo na próxima sexta-feira (31)

0

A Administração Municipal de Ouro fará ponto facultativo em todas as repartições públicas na próxima sexta-feira (31) pós feriado de Corpus Cristhi.

O atendimento à saúde, em casos de urgência e emergência, será prestado através do pronto socorro do Hospital Nossa Senhora das Dores de Capinzal.

Os demais serviços essenciais à população, como a coleta de lixo e outros, serão oferecidos normalmente.

O expediente ao público será retomado normalmente na próxima segunda-feira, dia 03, no horário habitual.

Leia a íntegra do Decreto

DECRETO Nº 1.115, DE 24 DE MAIO DE 2024

Estabelece ponto facultativo no dia 31 de maio de 2024.

O PREFEITO DO MUNICÍPIO DE OURO, Estado de Santa Catarina, no uso das atribuições que lhe confere o art. 53, inciso VI, da Lei Orgânica, e tendo em vista o disposto na Lei nº 1.180, de 17 de agosto 2000,

DECRETA:

Art. 1º Fica estabelecido ponto facultativo no dia 31 de maio de 2024, em razão do feriado de Corpus Christi.

Art. 2º Este Decreto complementa o Decreto nº 1.056, de 28 de dezembro de 2023, que estabeleceu os dias de feriados municipais e de pontos facultativos no ano de 2024.

Art. 3º Este Decreto entra em vigor na data de sua publicação. Ouro, 24 de maio de 2024.

CLAUDIR DUARTE

Prefeito

DAYANA F. P. DE OLIVEIRA COLOMBO

Sec. Mun. da Administração e Fazenda

Paciente do Rio Grande do Sul recebe tratamento de hemodiálise em SC

0

Alívio e agradecimento foram os sentimentos descritos por Rudinei da Costa Garcia e por sua família, enquanto ele recebia atendimento na Unidade de Rim do Hospital Governador Celso Ramos (HGCR). Aos 67 anos, morador do bairro Harmonia, em Canoas, no Rio Grande do Sul, ele teve que deixar sua casa e seu estado para receber tratamento de hemodiálise em Santa Catarina devido às enchentes.

O caso dele não é único. Para acolher os pacientes do estado vizinho neste momento de emergência e solidariedade, o Governo do Estado, através da Secretaria de Estado da Saúde (SES), tem organizado serviços e desvencilhado burocracias.

“Desde o primeiro momento estamos organizando tudo o que é possível para acolher esses pacientes. São pessoas que precisam seguir seus tratamentos, precisam ter acesso aos medicamentos de alto custo e que perderam tudo. Estamos em contato permanente com a Secretaria da Saúde do Rio Grande do Sul e orientamos todos os serviços de saúde do nosso estado para que possam atender esses pacientes de imediato e, posteriormente, organizar a documentação”, informa a secretária de Estado da Saúde, Carmen Zanotto.

A urgência em trazer seu Rudinei para Santa Catarina foi percebida pela filha, Angélica. Moradora de Palhoça, ela viu a enchente iniciar na cidade de sua família, Canoas, e decidiu juntar donativos na empresa em que ela e o marido trabalham e levá-los por conta própria ao município, localizado na região metropolitana de Porto Alegre.

“No domingo, dia 4, minha filha chegou, nós já tínhamos ido para a casa de meu irmão, porque na nossa, a água tinha entrado. Ela me olhou e disse: mãe, não dá mais para vocês ficarem aqui, o lugar de vocês agora é comigo”, conta Maria Ivanete Dias Garcia, esposa de Rudinei. E completa. “O Rudinei já estava sem tratamento, tentamos levá-lo a outros dois hospitais, mas estavam todos muito cheios”.

Na noite da segunda-feira (06) eles vieram para Santa Catarina e, na terça-feira (7), já procuraram atendimento no Hospital Governador Celso Ramos. “Seu Rudinei chegou aqui quando estávamos perto de encerrar as atividades do dia. Ele chegou em uma situação precária, difícil, tinha perdido sessões de diálise lá e, por conta disso, estava com muito líquido acumulado, bastante desconfortável. Fizemos os exames, o estabilizamos e já o encaminhamos para a primeira sessão”, explica Carla Wood Schmitz, médica nefrologista do serviço de Hemodiálise do HGCR. Ele ainda precisou permanecer cinco dias internado antes de iniciar o tratamento.

Emocionado, seu Rudnei conta como foi chegar até aqui. “Eu cheguei aqui bem mal, estava muito ofegante e fui muito bem acolhido. Eles são bem atenciosos, fizeram o possível e o impossível. É um pessoal muito acolhedor, neste hospital me deram tudo de que eu precisava. Agora, eu me sinto bem aliviado, cada dia que saio daqui, já saio com mais fôlego. Sou muito grato por tudo o que Santa Catarina tem feito por nós. O estado de Santa Catarina está dando uma grande força para nós, para todos os gaúchos”, agradece.

A hemodiálise é indicada para pacientes com insuficiência renal aguda ou crônica grave e é realizada ao menos três vezes por semana. Em Santa Catarina há 28 prestadores, entre clínicas e hospitais, localizados nas diferentes regiões do Estado. Até o momento, oito pacientes do RS estão realizando hemodiálise no território catarinense.