Governo do Estado estuda indenizar bombeiros comunitários para amenizar falta de efetivo militar

Estado – Está em trâmite junto ao governo do estado a proposta apresentada pelo comando do Corpo de Bombeiros Militar de Santa Catarina a indenização a bombeiros comunitários (agentes civis capacitados para o exercício voluntário da atividade de apoio operacional ao Corpo de Bombeiros) para amenizar a falta de efetivo na corporação.

A informação foi repassada em ofício encaminhado pelo comandante-geral do Corpo de Bombeiros do Estado, coronel Onir Mocelin, ao deputado estadual César Valduga (PCdoB). O parlamentar demonstrou preocupação com a possibilidade de fechamentos de quartéis do Corpo de Bombeiros em alguns municípios do interior do estado.

Conforme a proposta do comando, a indenização aos bombeiros comunitários seria uma forma de manter a frequência e periodicidade dos serviços voluntários cumpridos por esses agentes. “Mesmo ciente de que tal medida não resolve problema de nosso efetivo insuficiente em algumas localidades, o apoio prestado pelos bombeiros comunitários torna-se essencial, principalmente em municípios de pequena população, auxiliando os bombeiros militares no atendimento a emergências”, destaca trecho do documento.

De acordo com a Lei Complementar 582 de 30 de novembro de 2012, que estabelece em seu artigo 1 o limitador máximo de 3.816 bombeiros militares, o maior efetivo ativo já alcançado pela corporação foi de 2.880 em 2014, após a formatura do último curso de formação de soldados. Atualmente são 2.487 bombeiros militares atuando no Estado.

Um pedido de abertura de concurso público foi reforçado pelo comando-geral do Corpo de Bombeiros o governador Raimundo Colombo e ao secretário de estado da Segurança Pública César Augusto Grubba.

O Corpo de Bombeiros Militar está presente em 132 municípios catarinenses, atendendo a cerca de 70% da população catarinense. Estudos técnicos também estão em andamento sobre a possibilidade de redistribuição do efetivo, visando manter a prestação de serviço à maior parcela possível da população sem prejudicar a qualidade do atendimento.

O deputado César Valduga questionou a hipótese levantada nos bastidores de fechamento do quartel do Corpo de Bombeiros de Piratuba, que atende também Ipira, Peritiba e Alto Bela Vista, num contingente populacional de aproximadamente 15 mil pessoas. Através do secretário da Casa Civil, Nelson Serpa, houve a garantia do governo do estado em manter as atividades no município.

 

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.